Partidos e políticos parecem iguais, mas não são

Tem gente que esquece (ou faz de conta), mas há enorme diferença, ainda, em como alguns partidos e alguns políticos tratam as reivindicações dos trabalhadores e as políticas sociais. Cuidado! Não se deixe enganar pelos grandes grupos de comunicação do país. A propósito: a cobertura da Globo na repressão aos professores, no Paraná, é um escândalo de parcialidade. Esconde totalmente as cenas mais violentas. E o que não faltou foi sangue no rosto e nos corpos de professores. E nada disso foi mostrado pela Globo (não, pelo menos, no Jornal Hoje -30/4/15). Novamente, só para lembrar, se fosse em um governo do PT, haveria comentaristas pedindo o impeachment do governador e fazendo o maior escândalo. Como é do PSDB passa rapidinho e totalmente manipulado. Quem não tem consciência política, haverá sempre de se aliar aos opressores (ou, no mínimo, facilitar a vida deles).

 

Mídia, voto e consequências

Enquanto tivermos essa concentração de meios de comunicação, a população continuará a ser enganada e a votar em partidos e políticos que apoiarão medidas contra a maioria do povo brasileiro, para aumentar ainda mais as riquezas de uma pequena parcela de uma das cinco nações mais desiguais do planeta.

Juiz Lava-Jato. Por Rogério Dultra dos Santos.

http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2015/04/21/a-lava-jato-e-o-arbitrio-privado-individual-e-egoico%E2%80%8B

 

A Lava Jato e o arbítrio
privado, individual e egóico​

O Conversa Afiada (Paulo Henrique Amorim) tem a honra de reproduzir do blog “Democracia e Conjuntura” artigo irretocável do professor Rogério Dultra dos Santos:

JUIZ LAVA-JATO

Por Rogério Dultra dos Santos

O juiz lava-jato, em seus procedimentos e decisões, tem a pretensão de funcionar como um burocrata que maneja o instrumental técnico do direito sem manifestar envolvimento pessoal ou individual. Figura no processo como uma engrenagem especializada: apesar de representar uma autoridade, um poder político, ao manter a aparência de distanciamento e ausência de “interesse” no caso examinado, deseja ser visto, em geral e especialmente, como destituído de responsabilidade ou intencionalidade política. A aplicação da lei toma, sob sua jurisdição, a forma de um resultado exclusivamente técnico, onde prevalece a avaliação derivada do conhecimento do direito e onde desaparece a vontade e a escolha na conformação da decisão. leia mais →

Obrigado, Rachel!

http://jornalggn.com.br/fora-pauta/obrigado-rachel

do Aldeia Gaulesa

Obrigado, Rachel!

Morreu Rachel Clemens, a garotinha da foto acima que virou símbolo da luta contra a ditadura militar.

Na época da foto, ela tinha apenas cinco anos de idade: Rachel se recusou a cumprimentar o presidente-ditador general João Baptista Figueiredo, em sua visita a Belo Horizonte, em 1979.

A cena, registrada pelo fotógrafo Guinaldo Nicolaevsky  foi publicada por vários jornais e revistas no Brasil e no exterior, convertendo-se em uma imagem símbolo da resistência a ditadura.

Rachel teve morte súbita no último sábado (12/04), depois de uma parada cardíaca. Estava com 41 anos.

Seu ato silencioso, espontâneo e sincero embalou a imaginação de muitos, cansados de um regime autoritário que teimava em não acabar. Rachel sem intenção, fez História e produziu um dos momentos mais belos e marcantes da luta contra a ditadura.

Em razão disso, fica nosso registro e agradecimento: Obrigado, Rachel!

É tempo de viver sem medo. Por Eduardo Galeano

É sempre tempo de ouvir o escritor uruguaio Eduardo Galeano, que faleceu no dia 13 de abril (data do meu nascimento), neste ano de 2015. Suas palavras e seus livros ainda haverão de inspirar muitas gerações, em busca de justiça e solidariedade: “o mistério da persistência humana, às vezes inexplicável, de lutar por um mundo que seja a casa de todos e não a casa de poucos – e o inferno da maioria.”

Confira o vídeo de nove minutos.
(https://www.youtube.com/watch?v=gujK5WEVG8g)