Boaventura: “Somos todos anticapitalistas” (por Por Boaventura de Sousa Santos/via Outras Palavras)

161025-drooker

Por Boaventura de Sousa Santos – 25/10/2016 – via Outras Palavras.
Imagem: Eric Drooker.

“Em seu novo livro, sociólogo afirma: lutas operárias já não podem libertar a sociedade; cabe à esquerda despertar múltiplos sujeitos que sistema quer manter inertes.”

Leia mais:

http://outraspalavras.net/destaques/boaventura-somos-todos-anticapitalistas

Dez passos para entender didaticamente como os bancos nos empurraram abismo abaixo (por Mauro Lopes/blog Caminho da Casa – via Outras Palavras)

O Casamento Desigual (1525-1530), atribuída a um seguidor do artista flamengo Quentin Metsys.

Por Mauro Lopes – blog Caminho da Casa – via Outras Palavras.

“Em apenas dez passos você poderá entender claramente como os grandes bancos globais, os verdadeiros detentores do poder no capitalismo, estão empurraram o planeta e em especial 99% de sua população abismo abaixo. Eu achava que era coisa para economista com muitos anos de estudo, para experts. Mas, não – ainda bem! A leitura combinada de uma entrevista e um artigo veiculados no Outras Palavras esclarece tudo.”

Leia mais:

http://outraspalavras.net/maurolopes/2016/10/24/dez-passos-para-entender-didaticamente-como-os-bancos-nos-empurraram-abismo-abaixo

Umberto Eco: 14 lições para identificar o neofascismo e o fascismo eterno (via Luis Nassif/GGN)

Por Umberto Eco – 29/10/2016 – via Luis Nassif/GGN. Foto: Agência EFE.

Revista Samuel reproduz o texto de Umberto Eco Ur-Fascismo, produzido originalmente para uma conferência proferida na Universidade Columbia, em abril de 1995, numa celebração da liberação da Europa.

Leia mais:

http://jornalggn.com.br/noticia/umberto-eco-14-licoes-para-identificar-o-neofascismo-e-o-fascismo-eterno

Documentos da Cruz Vermelha revelam massacre de indígenas na ditadura

Os índios Nambiquara pelas lentes do antropólogo Lévi-Strauss

Os índios Nambiquara pelas lentes do antropólogo Lévi-Strauss.

Por Jamil Chade – 24/10/2016 – Agência Pública.

Trabalhos forçados, miséria e doenças levaram povos “à beira do extermínio” na década de 1970, registram informes confidenciais do Comitê Internacional da entidade.

Leia mais:

http://apublica.org/2016/10/documentos-da-cruz-vermelha-revelam-massacre-de-indigenas-na-ditadura

10 parques para conhecer o Cerrado

Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Foto: Vitor Augusto Maia

As cores do Cerrado no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros.
Foto: Vitor Augusto Maia.

Por Duda Menegassi – 25/10/2016 – www.wikiparques.org

O Cerrado ocupa cerca de 22% do território brasileiro e é o segundo maior bioma da América do Sul, além de um dos mais antigos do mundo. Sua biodiversidade também impressiona: já foram registrados mais de 11 mil espécies de plantas nativas, cerca de 200 espécies de mamíferos, mais de 800 de aves e 1.200 espécies de peixes. De acordo com o Cadastro Nacional de Unidades de Conservação (CNUC), 174 das UCs do país estão localizadas em Goiás, Minas Gerais, Tocantins e Mato Grosso, ajudando a preservar este bioma ameaçado pela perda de habitat, fruto a voracidade da agropecuária e a proliferação das pastagens.

A melhor forma de preservar é conhecer. Por isso, o WikiParques selecionou 10 parques para quem quer explorar um pouco a riqueza e exuberância do Cerrado brasileiro. Confira nossa lista.

Leia mais:

http://www.wikiparques.org/10-parques-para-conhecer-o-cerrado

“Um livro imprescindível!” Frei Betto escreve sobre o “A difícil democracia”, de Boaventura de Sousa Santos

frei-betto

Por Frei Betto – 24/10/2016.

A esquerda precisa urgentemente se reinventar. E essa reinvenção passa necessariamente por uma reflexão profunda sobre os impasses da experiência democrática cujos sintomas despontam de maneira mais aguda no presente. É essa a tônica de A difícil democracia: reinventar as esquerdas, o novo livro do renomado sociólogo português Boaventura de Sousa Santos que acaba de chegar, quentíssimo, da gráfica aqui. A obra tem sua primeira publicação mundial no Brasil pela Boitempo e será debatida pelo autor em uma série de atividades na III Bienal do Livro e da Leitura, em Brasília, que acontece agora entre 21 e 30 de outubro de 2016, e tem Boaventura como Homenageado Internacional deste ano. Confira, abaixo, o texto de orelha do livro, escrito por Frei Betto.

Leia mais:

https://blogdaboitempo.com.br/2016/10/24/um-livro-imprescindivel-frei-betto-escreve-sobre-o-a-dificil-democracia-de-boaventura-de-sousa-santos