As esculturas de renda de Agnes Herczeg

Por Divaholic – 18/8/2017.

Formada em conservação têxtil pela Universidade Húngara de Belas Artes, a artista Agnes Herczeg mistura diversas técnicas de renda e bordado para criar as suas obras, sempre integradas a elementos naturais – como pedaços de madeira, cascas de coco, entre outros materiais descartados e encontrados pela artista. Referência criativa indispensável, vale a pena conferir.

Leia mais:

http://divaholic.com.br/arte/as-esculturas-de-renda-de-agnes-herczeg

Lima Barreto, 32 obras em pdf para download (por Farofa Filosófica)

Por Farofa Filosófica – julho/2017.

Afonso Henriques de Lima Barreto nasceu no Rio de Janeiro em 1881, sete anos antes da assinatura da Lei Áurea. Trabalhando como jornalista, valeu-se de uma linguagem objetiva e informal, mais tarde valorizada por seus contemporâneos e pelos modernistas, para relatar o cotidiano dos bairros pobres do Rio de Janeiro como poucos…

Definida pelo próprio autor como “militante”, sua produção literária está quase inteiramente voltada para a investigação das desigualdades sociais. Em muitas obras, como no seu célebre romance Triste Fim de Policarpo Quaresma e no conto O Homem que Sabia Javanês, o método escolhido por Lima Barreto para tratar desse tema é o da sátira, cheia de ironia, humor e sarcasmo.

Leia mais:

https://farofafilosofica.com/2017/08/01/lima-barreto-32-obras-em-pdf-para-download

Poema de José Luís Peixoto, poeta português

 

Circula no FB – julho/2017.

na hora de pôr a mesa, éramos cinco:
o meu pai, a minha mãe, as minhas irmãs
e eu. depois, a minha irmã mais velha
casou-se. depois, a minha irmã mais nova
casou-se. depois, o meu pai morreu. hoje,
na hora de pôr a mesa, somos cinco,
menos a minha irmã mais velha que está
na casa dela, menos a minha irmã mais
nova que está na casa dela, menos o meu
pai, menos a minha mãe viúva. cada um
deles é um lugar vazio nesta mesa onde
como sozinho. mas irão estar sempre aqui.
na hora de pôr a mesa, seremos sempre cinco.
enquanto um de nós estiver vivo, seremos
sempre cinco.

22 livros que são diamantes para o cérebro (por Euler de França Belém/via Revista Bula)

Paradiso

Por Euler de França Belém – julho/2017 – via Revista Bula.

Livros, bons livros, são verdadeiros diamantes para o cérebro ou, se se quiser, para a alma. Aliás, até maus livros, se bem lidos, se tornam pelo menos uma vistosa bijuteria. Nesta lista, idiossincrática como qualquer outra, menciono livros que, em geral, foram editados no Brasil há alguns anos. Mas poucos estão fora de catálogo. Os que estão podem ser encontrados em sebos — caso da obra-prima “Paradiso”, romance do Lezama Lima.

Leia mais:

http://www.revistabula.com/1752-22-livros-que-sao-diamantes-para-o-cerebro