26 vídeos, filmes e documentários para você repensar a sua relação com comida (por Ana Beatriz Rosa/via HuffPost Brasil)

Por Ana Beatriz Rosa – 11/5/2017 – via HuffPost Brasil. Foto: Rawpixel via Getty Images.

Separamos 26 produções, entre documentários, entrevistas e palestras, que podem te ajudar a pensar sobre seu hábitos alimentares e como eles podem impactar a sua vida – e o mundo.

O objetivo destes vídeos não é trazer regras de alimentação, pelo contrário, comer pode ser um ato político e também emocional. É totalmente subjetivo.

Mas essa seleção pode te ajudar a ver a comida para muito além dos pratos e calorias.

Leia mais:

http://www.huffpostbrasil.com/2017/05/09/26-videos-filmes-e-documentarios-para-voce-repensar-a-sua-relac_a_22076172

Chef húngara transforma biscoitos decorados em obras de arte que parecem bordados

Por http://followthecolours.com.br

“Gosta de arte e biscoitos? Então conheça seu próximo destino de viagem, Mézesmanna, uma loja húngara de cookies decorados na cidade de Ajka que, de tão detalhados e incríveis, mais parecem pequenas obras de arte bordadas, prontas para serem emolduradas e colocadas na parede! Nada comuns, à primeira vista certamente você não vai querer comê-los.”

http://followthecolours.com.br/taste/chef-hungara-transforma-biscoitos-decorados-em-obras-de-arte-que-parecem-bordados-conheca-mezesmanna

Gastrofascismo, a nova onda coxinha (por Leandro Fortes/via Conversa Afiada)

coxinha tucanos_phixr.jpg

“A doença infantil do antipetismo criou, no Brasil, a figura do fascista de restaurante.

É o sujeito ou grupo de sujeitos que vai ao restaurante insultar pessoas que pensam de forma diferente ou tem outra opção política-ideológica à dele.”

Por Leandro Fortes – via Conversa Afiada – 23/4/2016.

http://www.conversaafiada.com.br/pig/gastrofascismo-a-nova-onda-coxinha

Muito além de um churrasco

Por Celso Vicenzi.

Mesmo sem entrar no debate ético (recomendo leituras de Peter Singer e da catarinense Sônia T. Felipe, por exemplo) e sobre a herança cultural de cada cidadão e cidadã que, na maioria das vezes, acaba por definir o padrão de alimentação por toda uma vida, o que mais me surpreende é que o ator e toda sua equipe de produção não tenham tido a sensibilidade para perceber o quanto a pauta era agressiva e desnecessária, mesmo que o intuito final fosse mostrar como se prepara e se assa um pedaço de ovelha. Sim, alguém pode mencionar que os ofendidos, não sendo veganos ou vegetarianos, também estão sendo hipócritas.

Insisto que não gostaria de centrar aqui, neste momento, este debate, mais profundo. Mas de comentar apenas como algo que envolve cenas brutais passa por tantos filtros de produção e edição sem que ninguém perceba a gravidade do que vão exibir.

Se o abate de um animal adulto já provoca reações, em muitos casos, de desaprovação e repulsa, imagine o que é mostrar um filhote, que ainda mama, ser abatido para que sua carne seja consumida minutos depois.

Dá para compreender que o ator/cozinheiro nasceu e cresceu em ambiente rural onde abates de animais para a alimentação são hábitos corriqueiros. Mas daí a não perceber o abalo gerado por cenas assim para um público muito mais amplo, de adultos e até mesmo de crianças, demonstra insensibilidade e incompreensão sobre os impactos de uma pauta como esta. De “queridinho” pode passar rapidamente a vilão.

No fim das contas, o programa gerou um debate muitíssimo diferente do pretendido. Muito além de um simples churrasco.

http://www.portalmakingof.com.br/web/rodrigo_hilbert_causa_revolta_na_web_por_abater_filhote_de_ovelha_na_tv.html?utm_source=e-goi&utm_medium=email&utm_term=Rodrigo+Hilbert+causa+revolta+na+web+por+abater+filhote+de+ovelha+na+TV&utm_campaign=Portal+Making+Of