Elza Soares canta esperança e liberdade no país do desalento (por Mário Magalhães/The Intercept Brasil)

Elza Soares lança novo disco, Deus é mulher

Capa do novo álbum “Deus é mulher”, de Elza Soares.

Por Mário Magalhães – 24/5/2018 – via The Intercept Brasil.

O novo álbum de Elza Soares, “Deus é mulher”, é fecundo em criações que cantam e contam o Brasil de cinquenta anos depois do toque de Gal. Contém onze faixas, com rap, canção, samba, frevo. Chegou às plataformas digitais na quinta-feira. Será vendido em CD e, ói nóis aqui traveiz, vinil e cassete.

Leia mais:

https://theintercept.com/2018/05/23/elza-soares-novo-album/?utm_source=Colabora&utm_campaign=70b4c5d7ee-EMAIL_CAMPAIGN_2018_05_23&utm_medium=email&utm_term=0_7b4d6ea50c-70b4c5d7ee-417482585

Stille Nacht/Noite Feliz – A acidentada trajetória de uma canção (por Edgar Welzel, de Stuttgart, Alemanha/via portal BrasilAlemanha)

Por Edgar Welzel, de Stuttgart, Alemanha – 17/12/2017 – via portal BrasilAlemanha.

A canção natalina “Noite Feliz”, com texto original em alemão, é hoje conhecida e cantada por mais de 2 bilhões de cristãos ao redor do mundo. É a mais conhecida melodia da cristandade e – como mais adiante veremos – não só da cristandade. Uma canção que nasceu quase ao acaso, uma melodia para duas vozes com acompanhamento de violão/guitarra, para substituir o órgão da igreja, que apresentava defeito.

Leia mais:

http://www.brasilalemanha.com.br/novo_site/noticia/stille-nacht-noite-feliz-a-acidentada-trajetoria-de-uma-cancao-por-edgar-welzel-de-stuttgart-alemanha/10045

Tia Ciata é a mãe negra do samba, que cedeu sua casa e sua vida para o estilo nascer no Brasil (por Thais Matos/via Huff Post Brasil)

Divulgação/Acervo da Organização Cultural Remanescentes de Tia Ciata.

Tia Ciata é considerada matriarca do samba brasileiro e referência do candomblé no início do século 20.

Por Thais Matos – 20/11/2017 – /via Huff Post Brasil.

Nascida Hilária Batista de Almeida, Ciata saiu da Bahia durante a diáspora para se tornar a dama do samba e do candomblé do Rio de Janeiro.

Leia mais:

http://www.huffpostbrasil.com/2017/11/16/samba-e-coisa-de-preta-a-historia-de-tia-ciata-a-matriarca-do-samba-brasileiro_a_23279720/?utm_hp_ref=br-mulheres

 

A reação à nova música de Chico Buarque e o moralismo desta geração (por Nathalí Macedo/via DCM)

Por Nathalí Macedo – 11/8/2017 – via DCM.

A nova música de Chico Buarque é sobre um casal de amantes adúlteros. Nada de novo sob o sol: ele adora falar de adultério em suas canções tanto quanto sobre política.

Leia mais:

http://www.diariodocentrodomundo.com.br/reacao-nova-musica-de-chico-buarque-e-o-moralismo-desta-geracao-por-nathali-macedo

O ser de esquerda? Ora, tão simples (por Rui Daher/via Luis Nassif/GGN)

Por Rui Daher – 8/6/2017 – via Luis Nassif/GGN.
(http://jornalggn.com.br/blog/rui-daher/o-ser-de-esquerda-ora-tao-simples-por-rui-daher).

Este samba vai para Elton Medeiros e Mauro Duarte, seus compositores, e a companheira em 45 anos, Cléo, que aniversaria hoje.

O pau quebrava. Lançado em 1968, no álbum “Samba na Madrugada, de Elton e Paulinho da Viola, a letra de “A Maioria sem Nenhum” segue assim:

Cai o rei, cai o rei…

Elis Regina, inesquecível. De  Ivan Lins e Vitor Martins (Cartomante).

Elis Regina – Cartomante (Ivan Lins / Vitor Martins)

Elis Regina – Cartomante (Ivan Lins / Vitor Martins)

Publicado por Templo Cultural Delfos em Sexta, 20 de janeiro de 2017