Manual une conhecimento indígena e científico sobre os usos de plantas amazônicas (via Instituto Socioambiental)

Via Instituto Socioambiental – 5/10/2017.

Manual de Etnobotânica será lançado pelo Jardim Botânico do Rio de Janeiro, pelo Instituto Socioambiental (ISA) e demais parceiros do Brasil e da Inglaterra. Publicação é fruto de pesquisa e intercâmbio de conhecimentos com povos indígenas da região do Alto Rio Negro, noroeste amazônico.

Leia mais:

https://www.socioambiental.org/pt-br/noticias-socioambientais/manual-une-conhecimento-indigena-e-cientifico-sobre-os-usos-de-plantas-amazonicas?utm_medium=email&utm_source=transactional&utm_campaign=manchetes%40socioambiental.org

Livro gratuito reúne detalhes de quase 400 espécies de plantas medicinais

Livro gratuito reúne detalhes de quase 400 espécies de plantas medicinais

Foram necessários três anos de coleta para que os artistas pudessem desenhar todas as espécies. Foto: Reprodução.

Por CicloVivo – 7/11/2016.

O “Tratado das Plantas Medicinais” é fruto do trabalho de mais de 40 anos de pesquisas e vivências da farmacêutica e professora Telma Sueli Mesquita Grandi. A obra, disponível para download gratuito, reúne 383 espécies com poder medicinal.

Leia mais:

http://ciclovivo.com.br/noticia/livro-gratuito-reune-detalhe-de-quase-400-especies-de-plantas-medicinais

Saudável é comer o que te faz feliz (por Maria Bitarello/via Outras Palavras)

170919-Bosch

Imagem: Hieronymus Bosch, O Jardim das Delícias Terrenas, 1490-1510 (detalhe).

Por Maria Bitarello – 19/9/2017 – via Outras Palavras.

Desvie dos cálculos de nutrientes, do proselitismo alimentar. Dê à alma e ao corpo o que eles pedem. Confie no que te alegra – e mais na intuição que no intelecto.

Leia mais:

http://outraspalavras.net/destaques/saudavel-e-comer-o-que-te-faz-feliz

Metade de vítimas de estupro tem até 14 anos e foi violada por parente (por Isabela Cavalcante/via Metrópoles)

iStock

Por Isabela Cavalcante – 13/9/2017 – via Metrópoles. Foto IStock.

Quando a maioria das pessoas pensa em estupro, talvez a cena a seguir é a mais comum que vem à cabeça: uma garota de roupas curtas e apertadas vagando sozinha pelas ruas escuras da cidade. Ao cruzar um beco, é surpreendida por um homem encapuzado. Ele, um completo desconhecido, decide violar essa bela moça em um lugar público, acobertado e escondido no meio da noite.

Essa descrição não poderia estar mais distante da realidade. A 12ª edição do Dossiê Mulher, lançada em agosto de 2017, reporta as violências ocorridas no Rio de Janeiro. Apesar de estudar apenas um estado, ele revela tendências que ocorrem no país inteiro. Os dados de estupro são assustadores: 55% das mulheres estupradas têm menos de 14 anos, o que é caracterizado como estupro de vulnerável, e em quase 40% dos casos o agressor é alguém que a vítima conhece.

Leia mais:

https://www.metropoles.com/brasil/direitos-humanos-br/metade-de-vitimas-de-estupro-tem-ate-14-anos-e-foi-violada-por-parente

Masturbação: a ala secreta da sexualidade (por Ana Alexandra Carvalheira)

 

Por Ana Alexandra Carvalheira – 11/2/2017 – via www.visão.sapo.pt

Quando todos os tabus da sexualidade parecem já ter caído, questiono-me sobre a falta de clareza que ainda persiste no tema da masturbação. Trata-se de um comportamento sexual individual, em que a pessoa procura a obtenção de excitação e satisfação sexual por si própria. Falamos de prazer sexual a solo, qual é o mistério?

Leia mais:

http://visao.sapo.pt/opiniao/bolsa-de-especialistas/2017-02-11-Masturbacao-A-ala-secreta-da-sexualidade

A cada 10 minutos uma mulher é vítima de violência em Santa Catarina (por Fábio Bispo/via Notícias do Dia)

Para a delegada Patrícia D´Ávila, é preciso uma transformação cultural para reduzir casos de violência - Flávio Tin/NDPara a delegada Patrícia D´Ávila, é preciso uma transformação cultural para reduzir casos de violência – Flávio Tin/ND.

Por Fábio Bispo – 18/8/2017 – via Notícias do Dia.

Dados da Secretaria de Segurança Pública revela que os crimes mais praticados contras as mulheres são ameaça, lesão corporal e estupro.

Leia mais:

https://ndonline.com.br/florianopolis/noticias/a-cada-10-minutos-uma-mulher-e-vitima-de-violencia-em-santa-catarina

Humanidade já gerou 8,3 bilhões de toneladas de plástico (por Miguel Ángel Criado/via El País)

Em muitas regiões do planeta a reciclagem de plásticos ainda é manual, garrafa a garrafa, tampinha a tampinha

Em muitas regiões do planeta a reciclagem de plásticos ainda é manual, garrafa a garrafa, tampinha a tampinha. Foto: Jenna Jambeck/Universidad de Georgia.

Por Miguel Ángel Criado – 20/7/2017 – via El País.

Desde que começou a produção em massa de plásticos, nos anos cinquenta, os humanos geraram 8,3 bilhões de toneladas métricas do material. Dessa quantidade enorme, apenas 9% são reciclados. A grande maioria acaba sem tratamento nos aterros sanitários ou no meio ambiente.Segundo um novo estudo sobre a produção desse material sintético, seu uso e destino final, se continuarmos nesse ritmo, em 2050 haverá mais de 12 bilhões de toneladas de resíduos plásticos.

Leia mais:

https://brasil.elpais.com/brasil/2017/07/19/ciencia/1500451864_107312.html

Senhora não’: bar para adultos maduros quebra tabus sobre o envelhecimento (por Giovana Fleck/via Sul21)

Márcia Papaléo é a dona do Boteco Anexo, também conhecido como o “bar para adultos maduros”. Foto: Guilherme Santos/Sul21.

Por Giovana Fleck – 16/7/2017 – via Sul21.

“E hoje, tem samba? Tem que ter música agitada, senão…”.  Envolvida por um lenço de cetim e com o cabelo cuidadosamente preso em um coque baixo, Leo Nunes chega dançando ao Boteco Anexo. “A música tá tocando, né? Tem que dançar”, ela diz para as amigas. “Há dez anos ela veio se tratar comigo. Chegou muito mal, deprimida mesmo, com o marido doente”, conta Márcia Papaléo, psicóloga e dona do bar. Leo vivia um período de introversão. Hoje, aos 80 anos, ela participa de dois grupos de dança diferentes e frequenta “a noite” pelo menos duas vezes por semana. “Eu me divirto. Dançar e cantar para mim é o máximo. É bom pra cabeça da gente”, conta Leo.

Leia mais:

http://www.sul21.com.br/jornal/senhora-nao-bar-para-adultos-maduros-quebra-tabus-sobre-o-envelhecimento

Por uma masculinidade além do priapismo (por Ricardo Pimental/via Outras Palavras)

170710-Príapo

Por Ricardo Pimentel Méllo – 10/7/2017 – via Outras Palavras. Imagem: Nicolas Poussin, “Hymeneu travestido durante um sacrificio a Príapo (1634).

É preciso rejeitar os corpos violentamente caracterizados como masculinos, mergulhados na “ilusão de que ser homem bastaria”. Sempre duros e alertas, eles desconsideram o cuidado de si.

Leia mais:

http://outraspalavras.net/destaques/masculinidade-e-o-cuidado-de-si-para-alem-de-priapismo