Moro, Lula e a justiça em país civilizado

Simples assim: em país civilizado, juiz não é investigador, não tem que procurar provas de condenação ou inocência, deve permanecer equidistante para julgar. E muito menos, ainda, achar que é celebridade.

Em frente ao parlamento alemão, Valeska Teixeira Martins e Geoffrey Robertson conversaram sobre o processo judicial de Lula.

https://www.facebook.com/Lulastruth/videos/1435100243202402/?autoplay_reason=gatekeeper&video_container_type=0&video_creator_product_type=2&app_id=2392950137&live_video_guests=0

Inundações costeiras podem dobrar em 2030 (por Observatório do Clima)

Turista fotografa ressaca no litoral do Rio de Janeiro. Inundações vão aumentar na região, revela estudo. Foto: Daniel Scelza

Turista fotografa ressaca no litoral do Rio de Janeiro. Inundações vão aumentar na região, revela estudo. Foto: Daniel Scelza.

Por Observatório do Clima – 19/5/2017.

Estudo mapeou o impacto do aumento do nível do mar em regiões litorâneas e fez um alerta: áreas tropicais, como Rio de Janeiro e Vitória, serão as mais atingidas pelos eventos climáticos extremos.

Leia mais:

http://www.observatoriodoclima.eco.br/inundacoes-costeiras-podem-dobrar-em-2030

O que a mídia brasileira não diz, a estrangeira revela

Maio de 2017. Circula no FB.

A cobertura da Greve Geral no Brasil (Al Jazeera)

Canal internacional detona poder manipulador da Globo e critica cobertura feita pelos canais de TV brasileiros sobre a greve geral no Brasil: "A mídia no Brasil é um oligopólio dominado por poucos grupos. Há interesses econômicos muito fortes influenciando a narrativa. Há muito pouco espaço para a classe trabalhadora. É sempre a elite falando para o povo com sua própria ideologia e visão de mundo".Para mais vídeos legendados, curta a página Televisão do Mundo.

Publicado por Televisão do Mundo em Segunda, 15 de maio de 2017

Como o derretimento de geleiras está levando ao ressurgimento de doenças ‘adormecidas’ (por BBC Brasil)

geleiras

As mudanças climáticas podem trazer de volta à vida antigos vírus e bactérias que já não existiam mais. Foto: Staffan Widstrand/Naturelpl.com

Por BBC Brasil – 15/5/2017.

O que aconteceria se nós, de repente, ficássemos expostos a bactérias e vírus mortais que ficaram ausentes por milhares de anos – ou então que nunca vimos antes?

É possível que estejamos perto de descobrir que aconteceria. As mudanças climáticas estão derretendo o solo da região do ártico que existiram ali por milhares de anos e, conforme o solo derrete, ele vai liberando antigos vírus e bactérias que, depois de ficarem tanto tempo “dormentes”, voltam à vida.

Leia mais:

http://www.bbc.com/portuguese/vert-earth-39905298

Celso Amorim: A suspensão do Instituto Lula lembra o que aconteceu na Alemanha nazista

Por Celso Amorim, em Nocaute, via Viomundo. – 16/5/2017.

Se nós olharmos o que aconteceu em outras situações ditatoriais, se olharmos o que aconteceu na Alemanha nazista, aquelas pequenas ações que eram tomadas, muitas delas eram até dentro da lei. Dentro da lei que havia no momento ou da interpretação que se dava à lei.

Leia mais:

http://www.viomundo.com.br/denuncias/celso-amorim-a-suspensao-do-instituto-lula-lembra-o-que-aconteceu-na-alemanha-nazista.html

Bauman e o momento político brasileiro (por Marcio Valley/via GGN)

Por Marcio Valley – 16/5/2017 – via GGN.

Quem é o autor e como se produz e reproduz o discurso ideológico hegemônico? A resposta é óbvia: siga o dinheiro, estúpido! A ideologia dominante deve produzir um mundo no qual a manutenção da ordem e a vontade de progresso sejam o padrão dominante de comportamento.

A manutenção da ordem deve ser entendida como a submissão ao ordenamento legal ainda que ao custo da fome e da própria vida. Rebeliões por insatisfação com a renda ou com as condições materiais de existência, mesmo as realizadas por populações incontroversamente miseráveis, deve ser vista pelo restante da população como coisa de baderneiros, terroristas e vândalos. Decisões públicas amargas, capazes de conduzir a miséria a níveis inimagináveis, devem ser percebidas pela maioria da população como dolorosas, porém inevitáveis.

Leia mais:

http://jornalggn.com.br/blog/marcio-valley/bauman-e-o-momento-politico-brasileiro-por-marcio-valley

Lula: a visão de uma anarquista (por Dora Incontri/via blog Dora Incontri)

image

Por  Dora Incontri – 11/5/2017 – via blog Dora Incontri.

Nunca votei no Lula. Também não votei em Dilma. Nem em Fernando Henrique, nem em Collor. Não votei, porque sou anarquista. O que é ser anarquista? É ter consciência de que os sistemas de governo – todos, incluindo a democracia e incluindo os sistemas pretensamente socialistas que tivemos na história recente – estão sempre a serviço de alguma classe, de alguns privilegiados. O Estado é mantido pela violência militar e policial, que pode ser usada a qualquer momento contra o próprio povo ou contra outros povos. E sempre a serviço de interesses de grupos. No caso da democracia atual, ela está a serviço dos bancos, das corporações, dos lobbies, das elites locais e das elites internacionais. Em momentos menos ruins, sobram alguns direitos a mais para o povo. Em algumas tradições de construção estatal, com mais tempo sob influência de ideias sociais e igualitárias, como alguns países da Europa, houve maior oportunidade para o povo adquirir mais educação e um tanto mais de direitos – mas que agora estão sendo retirados em toda parte.

Leia mais:

https://doraincontri.com/2017/05/11/lula-a-visao-de-uma-anarquista