Nível do mar na costa brasileira tende a aumentar nas próximas décadas (por Elton Alisson/Agência Fapesp)

Nível do mar na costa brasileira tende a aumentar nas próximas décadas

País não possui estudo integrado da vulnerabilidade das cidades litorâneas ao fenômeno, aponta relatório especial do Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas. Imagem: Ponta da Praia, em Santos/Leandro Negro/Agência Fapesp.

Por Elton Alisson – 5/6/2017 – Agência Fapesp.

O nível do mar na costa brasileira tende a aumentar nas próximas décadas. No Brasil, contudo, onde mais de 60% da população vive em cidades costeiras, não há um estudo integrado da vulnerabilidade dos municípios litorâneos a este e a outros impactos decorrentes das mudanças climáticas, como o aumento da frequência e da intensidade de chuvas. Um estudo desse gênero possibilitaria estimar os danos sociais, econômicos e ambientais e elaborar um plano de ação com o intuito de implementar medidas adaptativas.

Leia mais:

http://agencia.fapesp.br/nivel_do_mar_na_costa_brasileira_tende_a_aumentar_nas_proximas_decadas/25414

10 impactos causados pela redução de áreas naturais no Brasil (por Carlos Nobre, Carlos Eduardo Young, Fábio Olmos e Marcelo Dantas/via EcoDebate)

Por Carlos Nobre, Carlos Eduardo Young, Fábio Olmos e Marcelo Dantas/via EcoDebate – 24/5/2017.

Confira dez fatos e impactos que a redução de florestas causa para o meio ambiente e para a população:

https://www.ecodebate.com.br/2017/05/24/10-impactos-causados-pela-reducao-de-areas-naturais-no-brasil-por-carlos-nobre-carlos-eduardo-young-fabio-olmos-e-marcelo-dantas

Inundações costeiras podem dobrar em 2030 (por Observatório do Clima)

Turista fotografa ressaca no litoral do Rio de Janeiro. Inundações vão aumentar na região, revela estudo. Foto: Daniel Scelza

Turista fotografa ressaca no litoral do Rio de Janeiro. Inundações vão aumentar na região, revela estudo. Foto: Daniel Scelza.

Por Observatório do Clima – 19/5/2017.

Estudo mapeou o impacto do aumento do nível do mar em regiões litorâneas e fez um alerta: áreas tropicais, como Rio de Janeiro e Vitória, serão as mais atingidas pelos eventos climáticos extremos.

Leia mais:

http://www.observatoriodoclima.eco.br/inundacoes-costeiras-podem-dobrar-em-2030

Como o derretimento de geleiras está levando ao ressurgimento de doenças ‘adormecidas’ (por BBC Brasil)

geleiras

As mudanças climáticas podem trazer de volta à vida antigos vírus e bactérias que já não existiam mais. Foto: Staffan Widstrand/Naturelpl.com

Por BBC Brasil – 15/5/2017.

O que aconteceria se nós, de repente, ficássemos expostos a bactérias e vírus mortais que ficaram ausentes por milhares de anos – ou então que nunca vimos antes?

É possível que estejamos perto de descobrir que aconteceria. As mudanças climáticas estão derretendo o solo da região do ártico que existiram ali por milhares de anos e, conforme o solo derrete, ele vai liberando antigos vírus e bactérias que, depois de ficarem tanto tempo “dormentes”, voltam à vida.

Leia mais:

http://www.bbc.com/portuguese/vert-earth-39905298

ICMBio lança Biblioteca Digital Espeleológica

caverna foto

Por Comunicação ICMBio – 27/4/2017.

O Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Cavernas (Cecav), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), disponibiliza, a partir de 27 de abril, no seu site, a Biblioteca Digital de Informações Espeleológicas.

Com mais de mil títulos, a Biblioteca Digital tem o objetivo de armazenar, preservar, divulgar e dar acesso a documentos relacionados à espeleologia nas áreas de Geoespeleologia, Biologia Subterrânea, Socio-Histórico-Cultural, Geotecnologias, Licenciamento Ambiental, entre outras.

Leia mais:

http://www.icmbio.gov.br/portal/ultimas-noticias/20-geral/8892-icmbio-lanca-biblioteca-digital-espeleologica

Documentário Deserto Verde estreia no Canal Brasil

Hoje à noite, estreia no Canal Brasil o nosso documentário "Deserto Verde", que só foi exibido oficialmente – uma única…

Publicado por Juliana Kroeger em Segunda, 24 de abril de 2017

Foto rara mostra anta nadando embaixo da água

A imagem pode conter: atividades ao ar livre

Por Luciano Candisani – texto e foto – 5/4/2017.

Raridade!
Depois do meu primeiro encontro com uma anta debaixo d’água, no Recanto Ecológico Rio da Prata, passei a perseguir uma maneira de fotografar essa cena raríssima. Montei uma estratégia com o biólogo Thyago Sabino e passamos incontáveis horas na água fria durante duas semanas até finalmente aparecer a chance para a fotografia abaixo. Tive menos de um minuto quando ela passou correndo na minha frente…
Este mês a imagem faz sua primeira aparição pública. Ela está na abertura da minha matéria “Jardins Submersos”, na National Geographic. Mas eu e Thyago continuamos empenhados na idéia de continuar a documentação da vida das antas mergulhadoras.
Por enquanto, gostaríamos de dedicar esse nosso primeiro resultado à pesquisadora brasileira Patricia Medici, empenhada há anos no estudo conservação das antas e seu ambiente. Patrícia é hoje um dos principais nomes do mundo na ciência da conservação. Um orgulho para o nosso país.
Simone e Eduardo Coelho, muito obrigado pelo apoio!

CO2 pode ser o maior em meio bilhão de anos (por Claudio Angelo/via Observatório do Clima)

Foto: Nick Humphries/Flickr/Creative Commons

Foto: Nick Humphries/Flickr/Creative Commons.

Por Claudio Angelo – 5/4/2017 – via Observatório do Clima.

Novo estudo mostra que a queima de todas as reservas de combustíveis fósseis pode empurrar a Terra para um aquecimento que não é visto desde o surgimento das primeiras florestas.

Leia mais:

http://www.observatoriodoclima.eco.br/co2-pode-ser-o-maior-em-meio-bilhao-de-anos