Para tramar um feminismo descolonizado e não-burguês (por Serpente Coletiva/via Outras Palavras)

170928-debatesfeministas3

Por Serpente Coletiva – 28/9/2017 – via Outras Palavras.

Ciclo de encontros com a boliviana Julieta Paredes debate a hipótese de um Feminismo Comunitário, capaz de superar o individualismo e de compreender que o patriarcado oprime também os homens e a natureza.

Leia mais:

http://outraspalavras.net/blog/2017/09/28/para-tramar-um-feminismo-descolonizado-e-nao-burgues

Compartilhe
Share On Facebook
Share On Twitter
Share On Google Plus
Share On Linkedin
Contact us

Saudável é comer o que te faz feliz (por Maria Bitarello/via Outras Palavras)

170919-Bosch

Imagem: Hieronymus Bosch, O Jardim das Delícias Terrenas, 1490-1510 (detalhe).

Por Maria Bitarello – 19/9/2017 – via Outras Palavras.

Desvie dos cálculos de nutrientes, do proselitismo alimentar. Dê à alma e ao corpo o que eles pedem. Confie no que te alegra – e mais na intuição que no intelecto.

Leia mais:

http://outraspalavras.net/destaques/saudavel-e-comer-o-que-te-faz-feliz

Compartilhe
Share On Facebook
Share On Twitter
Share On Google Plus
Share On Linkedin
Contact us

Metade de vítimas de estupro tem até 14 anos e foi violada por parente (por Isabela Cavalcante/via Metrópoles)

iStock

Por Isabela Cavalcante – 13/9/2017 – via Metrópoles. Foto IStock.

Quando a maioria das pessoas pensa em estupro, talvez a cena a seguir é a mais comum que vem à cabeça: uma garota de roupas curtas e apertadas vagando sozinha pelas ruas escuras da cidade. Ao cruzar um beco, é surpreendida por um homem encapuzado. Ele, um completo desconhecido, decide violar essa bela moça em um lugar público, acobertado e escondido no meio da noite.

Essa descrição não poderia estar mais distante da realidade. A 12ª edição do Dossiê Mulher, lançada em agosto de 2017, reporta as violências ocorridas no Rio de Janeiro. Apesar de estudar apenas um estado, ele revela tendências que ocorrem no país inteiro. Os dados de estupro são assustadores: 55% das mulheres estupradas têm menos de 14 anos, o que é caracterizado como estupro de vulnerável, e em quase 40% dos casos o agressor é alguém que a vítima conhece.

Leia mais:

https://www.metropoles.com/brasil/direitos-humanos-br/metade-de-vitimas-de-estupro-tem-ate-14-anos-e-foi-violada-por-parente

Compartilhe
Share On Facebook
Share On Twitter
Share On Google Plus
Share On Linkedin
Contact us

Jessé Souza: “O ódio ao pobre é o problema central do Brasil” (por Brasil247)

Ag. Senado | Ricardo Stuckert | USP Imagens

Por Brasil247 – 29/9/2017.

O sociólogo e professor Jessé Souza acredita que “o ódio ao pobre é o problema central do Brasil”. Em seu novo livro, “A elite do atraso – da escravidão à Lava Jato”, ele apresenta a tese sobre como é legitimada a desigualdade social no Brasil e como a elite do dinheiro é a principal influenciadora das ideias e projetos do País, comprando todas as outras elites.

Leia mais:

https://www.brasil247.com/pt/247/brasil/319945/Jess%C3%A9-Souza-%E2%80%9CO-%C3%B3dio-ao-pobre-%C3%A9-o-problema-central-do-Brasil%E2%80%9D.htm

Compartilhe
Share On Facebook
Share On Twitter
Share On Google Plus
Share On Linkedin
Contact us

Os desafios cruciais da era Uber (por Por Frank Pascuale, no Boston Review of Books/Tradução: Inês Castilho/via Outras Palavras)

170710-Bosch2

Imagem: Hieronymus Bosch, Inferno, 1490 (detalhe).

Por Por Frank Pascuale, no Boston Review of Books/Tradução: Inês Castilho/via Outras Palavras – 15/9/2017.

Como evitar que sejamos todos obrigados a leiloar nosso trabalho, por preços e condições cada vez rebaixadas? Criando plataformas alternativas? Ou exigindo ação do Estado?

Leia mais:

http://outraspalavras.net/destaques/os-desafios-cruciais-da-era-uber

Compartilhe
Share On Facebook
Share On Twitter
Share On Google Plus
Share On Linkedin
Contact us

“Uma aula é tanto emoção quanto inteligência”, afirma Deleuze (por Revista Pazes)

Por Revista Pazes – 21/1/2016.

Gilles Deleuze nasceu na França e viveu de 1925 a 1995. Notável filósofo e professor de Filosofia em diversas Faculdades, publicou estudos sobre pensadores como Nietzsche, Kant e Spinoza, sendo apontado como um dos responsáveis pelo crescente interesse pela obra de Nietzsche.

Recatado, pouco dado a entrevistas e a qualquer sorte de exposição pública, é sempre um achado encontrar, na rede, alguma de suas falas.

No link abaixo, o vídeo em que ele diz sobre o seu encantamento pelo ato de ensinar.

http://www.revistapazes.com/deleuze

Compartilhe
Share On Facebook
Share On Twitter
Share On Google Plus
Share On Linkedin
Contact us