Stille Nacht/Noite Feliz – A acidentada trajetória de uma canção (por Edgar Welzel, de Stuttgart, Alemanha/via portal BrasilAlemanha)

Por Edgar Welzel, de Stuttgart, Alemanha – 17/12/2017 – via portal BrasilAlemanha.

A canção natalina “Noite Feliz”, com texto original em alemão, é hoje conhecida e cantada por mais de 2 bilhões de cristãos ao redor do mundo. É a mais conhecida melodia da cristandade e – como mais adiante veremos – não só da cristandade. Uma canção que nasceu quase ao acaso, uma melodia para duas vozes com acompanhamento de violão/guitarra, para substituir o órgão da igreja, que apresentava defeito.

Leia mais:

http://www.brasilalemanha.com.br/novo_site/noticia/stille-nacht-noite-feliz-a-acidentada-trajetoria-de-uma-cancao-por-edgar-welzel-de-stuttgart-alemanha/10045

Concentração da mídia no Brasil é a pior entre 11 países, incluindo Gana e Mongólia, diz estudo financiado pela Alemanha (por Kiko Nogueira/via DCM)

Roberto Irineu Marinho inaugura o novo estúdio do Jornal Nacional.

Por Kiko Nogueira – 31/10/2017 – via DCM.

A Deutsche Welle deu uma matéria sobre o novo relatório sobre a concentração da mídia brasileira divulgado pela organização internacional Repórteres Sem Fronteiras.

A pesquisa foi feita em parceria com a ONG Intervozes e financiada pelo Ministério de Cooperação Econômica e Desenvolvimento da Alemanha.

Leia mais:

http://www.diariodocentrodomundo.com.br/concentracao-da-midia-no-brasil-e-a-pior-entre-11-paises-incluindo-gana-e-mongolia-diz-estudo-financiado-pela-alemanha

 

Pé na Praia: Um alemão atrasado em Blumenau (por Thomas Fischermann/via DW)

Jornalista alemão Thomas Fischermann no Rio de Janeiro

O jornalista alemão Thomas Fischermann vive no Rio de Janeiro.

Por Thomas Fischermann – 6/9/2017 – via Deutsche Welle.

Para um correspondente de um jornal alemão do século 21, é uma sensação estranha estar em Blumenau, conta Thomas Fischermann. É como se fosse uma viagem a um museu no passado da própria nação.

Leia mais:

http://www.dw.com/pt-br/p%C3%A9-na-praia-um-alem%C3%A3o-atrasado-em-blumenau/a-40378758

Celso Amorim: A suspensão do Instituto Lula lembra o que aconteceu na Alemanha nazista

Por Celso Amorim, em Nocaute, via Viomundo. – 16/5/2017.

Se nós olharmos o que aconteceu em outras situações ditatoriais, se olharmos o que aconteceu na Alemanha nazista, aquelas pequenas ações que eram tomadas, muitas delas eram até dentro da lei. Dentro da lei que havia no momento ou da interpretação que se dava à lei.

Leia mais:

http://www.viomundo.com.br/denuncias/celso-amorim-a-suspensao-do-instituto-lula-lembra-o-que-aconteceu-na-alemanha-nazista.html

A alemã Der Spiegel viu os atores do “golpe dentro do golpe” que a mídia brasileira não quis ver (por Jari da Rocha/via Tijolaço)

Comentário do Vinicius B. Vicenzi:

Nada como uma mídia “imparcial”. Der Spiegel, ao menos, não sonega informação e apresenta um quadro de bom senso e verossimilhança que permite ao leitor uma contextualização razoável.

Que diferença há entre jornalismo e propaganda! Os dois são “mídia”, mas a um o interesse público precisa ser a motivação fundamental; ao outro, o interesse particular é suficiente. Não é à toa que os portugueses chamam a mídia de “comunicação social”. Quem sabe devêssemos assumir mais esse termo. Infelizmente, no Brasil de hoje, isso seria chamado de “bolivarianismo”.

Triste um país em que quase não há mais jornalismo, só propaganda. Só pode resultar no crescimento de mentes como as que apoiam, cada vez mais, pessoas como Bolsonaro.

Por Jari da Rocha – Colaboração para o Tijolaço – 10/5/2016.

spiegel

http://www.tijolaco.com.br/blog/alema-der-spiegel-viu-os-atores-do-golpe-dentro-do-golpe-que-midia-brasileira-nao-quis-ver

Semelhanças e diferenças entre o golpe de hoje no Brasil e o golpe nazista em 1933 (por Flávio Aguiar/via Carta Maior)

reprodução

Por Flávio Aguiar – 2/5/2016 – Via Carta Maior.

Hitler deu um golpe inteiramente ‘legal’, através de uma votação no Parlamento. com o apoio da classe média alta. Se olharmos os métodos, como se parecem!

Leia mais:

http://cartamaior.com.br/?/Editoria/Politica/Semelhancas-e-diferencas-entre-o-golpe-de-hoje-no-Brasil-e-o-golpe-nazista-em-1933/4/36058