Nossa Casa – Saberes Sistêmicos, Conversa e Cultura inaugura espaço dia 23 de junho no Pantanal

Florianópolis passa a ter, a partir do dia 23 de junho, um novo endereço para quem procura abordagens terapêuticas multidisciplinares, que incluem grupos regulares (abertos e fechados), com Constelações Familiares, Pathwork, Encontros de Meditação e Respiração Consciente, Palestras, Cinema, Workshops, Café com Filosofia, Encontros com Educadores e atividades culturais – entre outras.

Essas são algumas das atividades da Nossa Casa – Saberes Sistêmicos, Conversa & Cultura, localizada na Rua Frederico Veras, 140, no Pantanal, em Florianópolis. Sua programação de inauguração inicia-se no dia 23 de junho e vai até 4 de julho, com destaque para o Workshop “Caminhos para a Abundância”, com a terapeuta Djanira Cavalcante. “Muitas das atividades serão gratuitas, o que permitirá ao público conhecer um pouco mais da proposta de trabalho da Nossa Casa, os profissionais que estarão à disposição, regularmente, e a programação com convidados especiais”, explicou Evanilde Torres, terapeuta e coordenadora do novo espaço.

Na programação da primeira semana, entre outras atividades, haverá uma palestra sobre “Amor em Tempos de Crise”, com Evanilde Torres; Meditação e Respiração Consciente, com Gilvan Pedra; a Palestra “Saberes Sistêmicos na Educação”, com Letícia Torres da Silva e Vinicius Vicenzi; e sessão de cinema com o filme “Invictus”, seguido do debate “Mandela, uma inspiração”, com Evanilde Torres e Gilvan Pedra. “Queremos ser um espaço de transformação pessoal e coletiva”, resumiu o filósofo e educador Vinicius Vicenzi, um dos idealizadores do projeto. Ele acrescentou que a Casa vai estar aberta a parcerias com outros profissionais, para abordagens terapêuticas, lançamentos de livros, oficinas e outras atividades.

Confira, a seguir, a programação inicial da Nossa Casa:

Sexta-feira, 23/6 – 11 horas, Open House: “Saberes Sistêmicos” – conversa e cultura com Evanilde Torres, Gilvan Pedra, Letícia Torres da Silva e Vinicius Vicenzi. Às 17 horas, “Celebração da Lareira”, com Evanilde Torres e Vinicius Vicenzi.

Sábado, 24/6 – 9 às 18 horas – Workshop: “Caminhos para a Abundância”, com Djanira Cavalcante.

Domingo, 25/6 – 9 às 12h30 – Workshop: “Caminhos para a Abundância”, com Djanira Cavalcante.

Terça-feira, 27/6 – 19 às 22 horas – Palestra “Saberes Sistêmicos na Educação” (gratuita), com Letícia Torres da Silva e Vinicius Vicenzi.

Quarta-feira, 28/6 – Das 19 às 19h45 – “Meditação e Respiração Consciente”, com Gilvan Pedra (atividade gratuita). Das 20 às 21h30 – Café com Filosofia, com Vinicius Vicenzi (atividade gratuita).

Sexta-feira, 30/6 – 19 às 22 horas – Cinema na Nossa Casa: “Mandela, uma inspiração”. Filme: Invictus. Ao final, sessão comentada, com Evanilde Torres e Gilvan Pedra (atividade gratuita).

Sábado, 1/7 – 16 horas – Palestra: “O Amor em Tempos de Crise”, com Evanilde Torres. Às 17h30: Show musical com “Dueto Passarando” e degustação de “caldinho para esquentar o coração” (R$ 50,00).

Terça-feira – 4/7 – Palestra aberta “Pathwork: o caminho da transformação” com Evanilde Torres e Monique Hanauer.

Documentário Deserto Verde estreia no Canal Brasil

Hoje à noite, estreia no Canal Brasil o nosso documentário "Deserto Verde", que só foi exibido oficialmente – uma única…

Publicado por Juliana Kroeger em Segunda, 24 de abril de 2017

“Se tudo mudou em 500 anos, porque não podemos mudar e continuar a ser índio?”

“Você pode raspar, cortar moicano e até descolorir o cabelo. Eu também”. Cena da campanha #menospreconceitomaisíndio. Imagem: Daniel Klajmic/Pródigo.

Por Instituto Socioambiental – 12/3/2017.

Em sua primeira campanha para tevê e cinema, o Instituto Socioambiental (ISA) convida os brasileiros a olhar os povos indígenas com respeito, generosidade e sem preconceito.

A história da filosofia em 40 filmes

A História da Filosofia em 40 Filmes foi um Curso ofertado pela Caixa Cultural do Rio de Janeiro com curadoria de Alexandre Costa e Patrick Pessoa. A mostra-curso pôs em pauta temas filosóficos fundamentais e promoveu o diálogo de cineastas, como Bergman, Fellini, Glauber, Wenders, Kurosawa, Kubrick, Visconti e Godard, com importantes pensadores, entre eles Platão, Descartes, Kant, Marx, Nietzsche, Benjamin, Heidegger, Sartre e Foucault.

Organizado em dez módulos temáticos – “O que é a filosofia?”, “Questões estéticas”, “Mito e Tragédia”, “O Existencialismo”, ”O amor em fuga”, “Morte e Finitude”, “História e Violência”, “O Fascismo hoje”, “Cinema e Revolução” e “O cinema nacional e a interpretação do Brasil” –, a mostra/curso ‘A História da Filosofia em 40 Filmes’ faz refletir sobre diferentes disciplinas filosóficas, tais como a metafísica, a epistemologia, a ética, a política e a estética.

Leia mais:

http://simposion.blogspot.com.br/p/a-filosofia-em-40-filmes.html

Mulher no cinema, um retrato fora de foco (por Beth Sá Freire/via Outras Palavras)

170111_Os passaros The Birds Alfred Hitchcock filme

Tipy Hedren em “Os Pássaros”, de Alfred Hitchcock.

Por Beth Sá Freire – 13/1/2017 – via Outras Palavras.

Histéricas, traiçoeiras, frígidas ou mães coragem: representação do feminino nas telas é preconceituosa e desigual — e nem Hitchcock escapa. É que mulheres não decidem o que vai para as telas.

Leia mais:

http://outraspalavras.net/destaques/mulher-no-cinema-um-retrato-fora-de-foco

20 filmes que exploram o olhar das crianças sobre o mundo (por Dafne Melo/via educacaointegral.org.br)

Por Dafne Melo – via – www.educacaointegral.com.br

Como as crianças vivem momentos de efervescência política? Como vivem o acirramento da luta de classes? Como elaboram o luto, as perdas e o abandono? Ou a separação de seus pais? Como elas experimentam a pobreza e as mazelas do mundo?

Quando pensamos em filmes com crianças, não vem à nossa cabeça realidades adversas e complexas, mas o cinema tem se dedicado bastante em construir um olhar infantil sobre situações permeadas pelo sofrimento.

E se a realidade vivida é difícil de suportar, maior a necessidade de substituí-la por outra mais lúdica e poética, o que as crianças fazem melhor do que ninguém.

O privilégio da infância é podermos transitar livremente entre a magia da vida e os mingaus de aveia, entre um medo desmesurado e uma alegria sem limites (…) Eu sentia dificuldade para distinguir entre o que era imaginado e o que era real”, escreveu o cineasta sueco Ingmar Bergman.

O Centro de Referências em Educação Integral preparou uma seleção de produções, de diversos países, que registram histórias nas quais diversos acontecimentos – da separação dos pais a eventos históricos trágicos, passando por situações de vulnerabilidade social e o luto – são protagonizadas por crianças. Confira!

http://educacaointegral.org.br/reportagens/20-filmes-que-exploram-o-olhar-das-criancas-sobre-o-mundo