A democracia sob ameaça – por Nicolas Gael/via blog do Miro

Por Nicolas Gael – 26/9/2018 – via blog do Miro.

Será um erro eleger para a presidência do Brasil um candidato com tão pouco apreço pelo regime democrático. É mais que um voto, é um cheque em branco, um passaporte para o perigo. Uma enorme ameaça à democracia, que pode ser eliminada, ironicamente, com o voto de milhões de brasileiros, abrindo caminho para um golpe dentro do golpe.

Leia mais:

https://altamiroborges.blogspot.com/2018/09/a-democracia-sob-ameaca.html

 

Silêncio que fala

Por Celso Vicenzi – 5/10/2017.

O silêncio eterno a que autoimpô-se Luiz Carlos Cancellier de Olivo, reitor da UFSC, falará para todo o sempre das injustiças e denunciará o modelo ditatorial implantado no Brasil, em pleno século 21: judicial-policial-midiático, igualmente perverso, intolerante, arbitrário, inquisidor, perseguidor, seletivo, cruel, classista, elitista, excludente, desumano.

Israel sem máscaras, por uma feminista brasileira (por Berenice Bento/via Outras Palavras)

170118_banksy filme faixa de gaza

Por Berenice Bento – 18/1/2017 – via Outras Palavras.

Vigilância permanente. Proibição de atividades políticas. Espancamentos. Censura. Por trás dos rótulos de “única democracia do Oriente Médio” e “país libertário” esconde-se uma ditadura perfeita.

Leia mais:

http://outraspalavras.net/capa/israel-sem-mascaras-por-uma-feminista-brasileira

Basta de corrupção! (por João Feres Jr./via Luis Nassif/GGN)

Por João Feres Jr. – 9/1/2017 – via Luis Nassif/GGN.

Boa parte dos agentes da direita política sabe muito bem que a narrativa da corrupção é pura hipocrisia, eles mesmos escaldados em práticas ilícitas de toda natureza – de grandes empresas a grandes partidos, passando também pela raia miúda de pequenos empresários, burocratas e políticos do baixo clero. Claro, essa narrativa não teria tanto sucesso se não conquistasse, para além destes agentes, uma massa de pessoas das classes médias, estes sim crentes no princípio de que o bom político é o político honesto, e convencidos de que o PT é o maior agente corruptor da história deste país. Essa massa de bestializados, tietes do Moro e de Bolsonaro, posa da “povo” na narrativa da grande imprensa.

Leia mais:

http://jornalggn.com.br/blog/joao-feres-junior/basta-de-corrupcao-por-joao-feres-jr

A atual fase do golpe e suas faces (por Robson Sávio Reis Souza/via Brasil247)

Por Robson Sávio Reis Souza – 18/12/2016 – via Brasil247.

Um golpe sempre produz gravíssimas rupturas de ordens institucional, jurídica, econômica e social. E esse golpe tem um agravante: diferentemente da ditadura civil-militar, quando os militares assumiram o controle, enquadrando as demais instituições (para gerar alguma estabilidade, pela força), o que vemos agora é uma luta fratricida entre os três poderes pelo controle do golpe.

Leia mais:

http://www.brasil247.com/pt/colunistas/robsonsavioreissouza/271149/A-atual-fase-do-golpe-e-suas-faces.htm

Instruções para enfrentar o mau tempo! (por Paco Urondo)

Resultado de imagem para foto raios agencia brasil
Foto: Agência Brasil.
Por Paco Urondo (poesia escrita em plena ditadura argentina – 1973-1976).

 
Em primeiro lugar, não se desespere.
E em caso de agitação não siga as regras que a repressão quiser impor.
Refugie-se em casa e feche as trancas quando todos os seus estiverem a salvo.
Compartilhe o mate e a conversa com os companheiros,
os beijos furtivos e as noites clandestinas com quem lhe assegure ternura.
Não deixe que a estupidez se imponha.
Defenda-se.
Contra a estética, ética.
Esteja sempre atento.
Não lhes bastará empobrecê-lo, e vão querer subjugá-lo na sua própria tristeza.
Ria ostensivamente.
Tire sarro: a direita é mal comida!
Será imprescindível jantar juntos, a cada dia, até que a tormenta passe.
São coisas simples, mas nem por isso menos eficazes.
Diga para o compa: bom dia, por favor e obrigado.
E tomar no cu, para os de cima.
Atire tudo o que puderes, mas nunca sozinho.
Eles sabem como emboscá-lo na solidão desprevenida de uma tarde.
Lembre-se que os artistas serão sempre nossos.
E o desprezo será eterno para o bando de impostores que os acompanham.
Tudo vai ficar bem se você me ouvir.
Sobreviveremos novamente, estamos prontos.
Cuidemos dos jovens, que “eles” vão querer podá-los.
Só é preciso preparar-se bem e não amesquinhar amabilidades.
Devemos ter sempre à mão os poemas indispensáveis, o vinho tinto e o violão.
Sorrir aos nossos pais, como vacina contra a angústia diária.
Ser generosos com os amigos.
Não confundir os ingênuos com os traidores.
E, mesmo com estes, ter o perdão quando acabarem com suas ilusões.
Aqui ninguém sobrará.
E, para isto, ser perseverantes e tenazes,
escrever religiosamente todos os dias, todas as tardes, todas as noites.
Ainda que sustentados na teimosia se a fé desmoronar.
Nisso, não haverá trégua para ninguém.
A poesia dói para esses filhos da puta!
 
Paco Urondo (1930-1976). Escritor, jornalista, poeta, militante político e guerrilheiro Montonero. Foi assassinado em Mendoza, em 17 de junho de 1976. Teve três filhos, e a filha Claudia, foi também assassinada pela ditadura militar em 1976.

20 capas de jornais e revistas: em 1964, a imprensa disse sim ao golpe (por Mário Magalhães, em seu blog)

O Estado de S. Paulo, 2 de abril de 1964: “Vitorioso o movimento democrático”.É a contracapa, porque a primeira página, era o padrão, só tinha notícias do exterior.

Por Mário Magalhães – 10/3/2016 – via blog do Mario Magalhães.

“Precisamos falar sobre história.”

Leia mais:

http://blogdomariomagalhaes.blogosfera.uol.com.br/2016/03/10/20-capas-de-jornais-e-revistas-em-1964-a-imprensa-disse-sim-ao-golpe