“Podemos ter democracia desde que não se aplique aos interesses da população”: o economista Ladislau Dowbor fala ao DCM

Por Celso Vicenzi – 2/2/2012 – Via DCM.

Em seu mais recente livro, “A era do capital improdutivo – a nova arquitetura do poder” (editoras Outras Palavras e Autonomia Literária), o economista Ladislau Dowbor, professor titular de pós-graduação da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, analisa três grandes temas da atualidade: a riqueza do mundo que é capturada pelos bancos e seus intermediários financeiros; o sequestro da democracia pelo capital improdutivo, e a ameaça da destruição do planeta. Consultor de agências das Nações Unidas, governos e municípios, além de várias organizações do sistema “S”, Ladislau é autor e co-autor de cerca de 40 livros. Toda a sua produção intelectual está disponível online na página dowbor.org.

Leia mais:

http://www.diariodocentrodomundo.com.br/podemos-ter-democracia-desde-que-nao-se-aplique-aos-interesses-da-populacao-o-economista-ladislau-dowbor-fala-ao-dcm

Humanidade já gerou 8,3 bilhões de toneladas de plástico (por Miguel Ángel Criado/via El País)

Em muitas regiões do planeta a reciclagem de plásticos ainda é manual, garrafa a garrafa, tampinha a tampinha

Em muitas regiões do planeta a reciclagem de plásticos ainda é manual, garrafa a garrafa, tampinha a tampinha. Foto: Jenna Jambeck/Universidad de Georgia.

Por Miguel Ángel Criado – 20/7/2017 – via El País.

Desde que começou a produção em massa de plásticos, nos anos cinquenta, os humanos geraram 8,3 bilhões de toneladas métricas do material. Dessa quantidade enorme, apenas 9% são reciclados. A grande maioria acaba sem tratamento nos aterros sanitários ou no meio ambiente.Segundo um novo estudo sobre a produção desse material sintético, seu uso e destino final, se continuarmos nesse ritmo, em 2050 haverá mais de 12 bilhões de toneladas de resíduos plásticos.

Leia mais:

https://brasil.elpais.com/brasil/2017/07/19/ciencia/1500451864_107312.html

Catástrofe climática: a Terra inóspita e inabitável

Por Instituto Humanitas Unisinos – 20/7/2017.

A revista New York Magazine (NYMag) publicou, no dia 09-07-2017, uma matéria denominada “The Uninhabitable Earth” – pintando no pior cenário, um Armagedon climático – que se tornou viral e foi comentada amplamente em diversos países e passou a ser o artigo mais lido da revista. Infelizmente, pouco se falou sobre o assunto no Brasil. A matéria, com chamada de capa, feita a partir de entrevistas com cientistas renomados, traz uma visão catastrófica do efeito do crescimento das atividades antrópicas sobre os ecossistemas e as mudanças climáticas. A repercussão foi enorme. Houve muita comoção pelo tom apocalíptico, reproduzido por uma grande revista que tem respeitabilidade e repercussão imediata.

Leia mais:

http://www.ihu.unisinos.br/569801-catastrofe-climatica-a-terra-inospita-e-inabitavel

O impressionante rio Amazonas (por iAgua.es)

Compartilho do iAgua.es – abril/2017.

Río Amazonas

El río Amazonas es la arteria aorta del planeta. ¿Conoces realmente su importancia?Descúbrelo en este vídeo y comparte. ¡Te quedarás de piedra! 🗿

Publicado por iAgua.es em Quarta, 19 de abril de 2017

Qual é a indústria que mais polui o meio ambiente depois do setor do petróleo? (por BBC Brasil)

Mulheres passam em frente a uma vitrine em Paris

Indústria da moda é uma das mais poluentes do mundo.
Foto:  Thinkstock.

Por BBC Brasil – 13/3/2017 – via Editora Expressão.

É fácil citar a indústria do petróleo como principal vilã da poluição. Mas poucos talvez saibam que o segundo lugar nesse ranking pertence à indústria da moda.

Se você veste calças ou malhas de poliéster, por exemplo, fique sabendo que a fibra sintética mais usada na indústria têxtil em todo o mundo não apenas requer, segundo especialistas, 70 milhões de barris de petróleo todos os anos, como demora mais de 200 anos para se decompor.

A viscose, outra fibra artificial, mas feita de celulose, exige a derrubada de 70 milhões de árvores todos os anos.

Leia mais:

http://www.expressao.com.br/noticias/materias/13-03-17-Qual-e-a-industria-que-mais-polui.php

10 coisas que você precisa saber antes de começar uma horta (por Djalma Nery/via blog Plantar o Futuro)

item 7 mandala

Por Djalma Nery – 15/2/2017 – via blog Plantando o Futuro.

Ao longo desses quase 10 anos trabalhando com agricultura urbana, conheci pessoas que traziam as mais variadas motivações para se cultivar uma horta: saúde, ecologia, organização comunitária, razões políticas, econômicas, ambientais, e um grande etcétera.

E realmente: horta é tudo isso e um pouco mais. Desconheço outras práticas que sejam tão agregadoras, plurais e transversais como a agricultura, principalmente a urbana, orgânica e em grupo.

Felizmente, cada vez mais pessoas tem nos procurado pedindo orientações de como começar uma horta nas mais distintas condições. Por conta disso, resolvi fazer esse pequeno texto com orientações básicas e iniciais para quem se interessar pelo assunto. Obviamente não se trata de um manual, mas de questões a serem consideradas e indicações de aprofundamento.

Leia mais:

http://outraspalavras.net/djalmanery/2017/02/15/10-coisas-que-voce-precisa-saber-antes-de-comecar-uma-horta

Por que criticar a abertura das Olimpíadas me torna um pária neste sábado? (por Leonardo Sakamoto/via blog do Sakamoto)

Invasão portuguesa na terra que era ocupada por indígenas - o "invasão" não foi meu, mas de Glória Maria, na transmissão na noite desta sexta (5). Foto: Issei Kato/Reuters

Por Leonardo Sakamoto – 6/8/2016 – via blog do Sakamoto.

“Utilizar esses momentos também para refletir sobre o abismo entre a imagem de país que gostamos de vender ao mundo e o país que realmente somos é fundamental. Para que possamos aproximar desejo e realidade o máximo possível e tornar a efetivação da dignidade algo cotidiano.”

Leia mais:

http://blogdosakamoto.blogosfera.uol.com.br/2016/08/06/por-que-criticar-a-abertura-das-olimpiadas-me-torna-um-paria-neste-sabado