Os muito ricos sonegam sem culpa (por Nick Hopkins, no Guardian/via Outras Palavras)

Henrique Meirelles, um dos envolvidos no vazamento da Appleby. Ministro da Fazenda usou argumento de praxe, lembrando que suas aplicações "offshore" são legais e foram declaradas à Receita. "O problema", diz o texto, "é que uma parte cada vez maior da opinião pública julga estas práticas ilegítimas"

Henrique Meirelles, envolvido no vazamento da Appleby. Ministro usou argumento de praxe, lembrando que suas aplicações “offshore” são legais e foram declaradas à Receita. “O problema”, diz o texto, “é que uma parte cada vez maior da opinião pública julga estas práticas ilegítimas”.

Por Nick Hopkins, no Guardian – 8/11/2017 – via Outras Palavras – Tradução Inês Castilho.

Novo vazamento sobre “paraísos fiscais” demonstra: para não pagar impostos, transnacionais e milionários escondem-se nos mesmos circuitos financeiros usados pelos corruptos e redes criminosas.

Leia mais:

http://outraspalavras.net/brasil/os-muito-ricos-sonegam-sem-culpa

E os pobres sustentam o cassino financeiro global (por Inesc e Redação Outras Palavras)

170906-Pobres

Em três décadas, países periféricos transferiram, para nações capitalistas centrais, US$ 10,6 trilhões — trezentas vezes o PIB da Nicarágua. Paraísos fiscais são principal sangria. Só China escapou.
Por Inesc e Redação Outras Palavras – 6/9/2017.
Qual impacto que a fuga não-registrada de capitais pode ter no desenvolvimento de um país, principalmente nos mais vulneráveis e pobres? Qual o papel dos paraísos fiscais na facilitação desse fluxo financeiro, que drena importantes recursos de regiões inteiras do mundo? Para tentar responder a essas questões, o Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc), em parceria com o Centro de Pesquisa Aplicada da Escola de Economia da Noruega (SNF), a Global Financial Integrity (GFI), Universidade Jawaharlal Nehru e o Instituto Nigeriano de Pesquisa Social e Econômica, produziu o estudo “Fluxos Financeiros e Paraísos Fiscais: Uma combinação para limitar a vida de bilhões de pessoas“, um extenso relatório em três partes que avalia o fluxo líquido de recursos de entrada e saída de países em desenvolvimento, durante o período de 1980-2012.
Leia mais:

A privatização do dinheiro, silenciosa e radical (por Brett Scott/via Outras Palavras)

170307-DinheiroDigital2c

Por Brett Scott – 7/3/2017 – via Outras Palavras. Tradução: Inês Castilhos e Antonio Martins.

Bancos, cartões de crédito e Estados querem substituir todo o dinheiro público por moeda digital, corporativa. Se isso ocorrer, haverá muito mais desigualdade, discriminação e vigilância.

Leia mais:

http://outraspalavras.net/posts/a-privatizacao-do-dinheiro-silenciosa-e-radical

 

Juro do cartão de crédito supera 451% e atinge maior patamar desde 1995

Juro do cartão de crédito supera 451% e atinge maior patamar desde 1995

Por Metro Jornal São Paulo – 13/9/2016.

Os juros médios do cartão de crédito chegaram a 451,44% ao ano em agosto, segundo pesquisa da Anefac (Associação Nacional de Executivos de Finanças). É a maior taxa anual desde outubro de 1995 (459,53%).

Leia mais:

http://www.metrojornal.com.br/nacional/economia/juro-do-cartao-de-credito-supera-451-e-atinge-maior-patamar-desde-1995-310239