A sobrevivência dos mais ricos e como tramam abandonar o barco, por Douglas Rushkoff, via IHU

Por Douglas Rushkoff – via IHU – 7/8/2018

Para os multimilionários, o futuro da tecnologia consiste em sua capacidade de fuga. O objetivo é transcender a condição humana e se proteger da mudança climática, os grandes fluxos migratórios, as pandemias globais…

O artigo é de Douglas Rushkoff, escritor, documentarista e palestrante estadunidense, cujo trabalho se concentra na autonomia humana na era digital, em artigo publicado por Ctxt, 01-08-2018. A tradução é do Cepat.

Leia mais:

http://www.ihu.unisinos.br/581551-a-sobrevivencia-dos-mais-ricos-e-como-tramam-abandonar-o-barco

Os desafios cruciais da era Uber (por Por Frank Pascuale, no Boston Review of Books/Tradução: Inês Castilho/via Outras Palavras)

170710-Bosch2

Imagem: Hieronymus Bosch, Inferno, 1490 (detalhe).

Por Por Frank Pascuale, no Boston Review of Books/Tradução: Inês Castilho/via Outras Palavras – 15/9/2017.

Como evitar que sejamos todos obrigados a leiloar nosso trabalho, por preços e condições cada vez rebaixadas? Criando plataformas alternativas? Ou exigindo ação do Estado?

Leia mais:

http://outraspalavras.net/destaques/os-desafios-cruciais-da-era-uber

O Brasil em 2030

Imagem: Hiperfoto do francês Jean François Rauzier/Divulgação – via Correio Braziliense. 

Por Celso Vicenzi – 15/6/2017.

Estamos no ano de 2030, não se assuste, caro leitor, prezada leitora, pois o tempo corre e muita coisa aconteceu no Brasil depois daquele decisivo ano de 2016 – lá se vão já 24 anos. Tudo começou a mudar um pouco antes, por causa – imagine só! – de 20 centavos, lembram? Vieram aquelas manifestações gigantescas, em 2013, que ninguém sabia muito bem quem eram os alvos dos protestos, mas aos poucos, por inércia e ingenuidade do governo Dilma e ações orquestradas da mídia, foram sendo direcionados para o Palácio do Planalto. E veio o golpe, a Lava Jato, a Odebrecht, o Michel Temer, o STF, o TSE, o Joesley, o Gilmar Mendes e tantos fatos e personagens, numa avalanche como nunca houvera antes na história desse país. Muitos que pareciam ter sido soterrados, sobreviveram.

Para quem ainda não chegou a 2030, vou contar como as coisas estão no momento.

Eduardo Cunha não durou muito tempo na prisão e hoje desfruta de uma vida milionária graças ao dinheiro que amealhou com o seu silêncio. Finalmente se compreendeu aquela frase “o silêncio vale ouro”. No caso, uma mesada de R$ 2 milhões, pagos em malas de R$ 500 mil por semana. E pensar que tem gente que fica feliz com a megassena!

Aécio foi “o primeiro a ser comido”. Gostou tanto que passou a desfilar na parada gay de São Paulo, ao lado do ex-prefeito Doria, que mantém o hábito de aparecer fantasiado nas ruas da capital paulista. Começou vestindo-se de gari, mas atualmente prefere sair de odalisca, com muitos paetês e plumas esvoaçantes cada vez que tem um de seus costumeiros e agressivos chiliques.

Jucá, o mais famoso vidente do Planalto (“tem que estancar essa porra!”) aquele que previu tudo que deveria ser feito – e foi! – para dar o golpe e tentar barrar a Lava Jato (“bota o Michel num grande acordo nacional, com o Supremo, com tudo”), abriu um escritório de previsões apocalípticas e tem faturado boa grana com deputados, senadores, prefeitos e governadores  que desejam saber como intervir para evitar desgraças futuras.

Os ministros Luis Roberto Barroso e Carmem Lucia, representando outros próceres do STF, assumiram poltronas (cadeiras é muito simples para figuras tão ilustres) na ABO – Academia Brasileira de Obviedades, de onde descortinam a paisagem que varreu o país, mas pouco incomodou suas capas pretas, imperturbáveis diante das intempéries que se abateram sobre a Constituição e os destinos da nação.

Prenderam este ano (lembre-se, estamos em 2030) mais três helicópteros da família do senador José Perrela, com 500 quilos cada um de pasta de cocaína endereçadas para A.E.C.I.O. – sigla que a Polícia Federal ainda não conseguiu identificar. O STF, por sua vez, sempre atento ao rigor dos autos, absolveu Perrela de formação de quadrilha justificando que eram apenas três helicópteros, faltando, portanto, um quarto para que houvesse de fato uma “quadrilha” e a acusação pudesse ser julgada procedente.

Também foi aprovado neste ano de 2030 a extensão do Auxílio-Moradia para que magistrados, em todo o país, possam custear despesas com as suas casas de praia. No entanto, como forma de contribuir à solução da crise, os magistrados aceitaram que esse auxílio não excederá a duas residências por Estado do litoral.

O caos, a violência, a barbárie e a falência dos órgãos têm se agravado, mas nada que preocupe o ministro Marco Aurélio Mello, que continua firme em sua declaração – hoje já alçada à condição de um mantra – de que “as instituições estão funcionando normalmente e não há motivo para preocupação”.

Gilmar Mendes, depois de presidir o STF, o STJ, o TSE e todas as siglas possíveis das instâncias judiciais sem ser incomodado por suas atuações políticas, resolveu ascender a outro plano e atualmente é padroeiro cultuado com muita devoção entre os integrantes do PSDB, que o invocam em busca de milagres sempre que um de seus membros é pego em corrupção e necessita de uma suprema absolvição.

José Serra criou uma fundação para apoiar golpes em vários cantos do planeta, para onde tem levado o seu olhar blasé e a sua expertise largamente testada em solo brasileiro.

FHC, num sociologuês raso como um pires, continua a culpar o PT por tudo que aconteceu no Brasil desde a chegada de Cabral e transformou seu instituto num centro de investigação. Quer saber por que um semianalfabeto como Lula tem mais títulos e honrarias internacionais do que ele.

Michel Temer está cada vez mais atento aos movimentos de Joesley Batista, depois que tomou conhecimento que o dono da Friboi estava interessado em outras carnes e não embarca mais em nenhum jatinho furado, sobretudo com flores, para Marcela.

Lula, desde 2018, tornou-se inelegível, mas continua a liderar todas as pesquisas de intenção de votos. Sem votos, em alguns rincões do Nordeste tem mais devotos do que o Padre Cícero.

Alckmin ainda não conseguiu se eleger presidente e não compreende o que o gosto de picolé de chuchu tem a ver com tudo isso.

Moro foi morar nos Estados Unidos, onde é professor catedrático de Direito Alienígena e recebe frequentes visitas de integrantes da CIA e do FBI em busca de aperfeiçoamento. Não obstante ter galgado a fama, tem constantes pesadelos sobre pedalinhos num sítio e um triplex sem dono.

O Brasil, enfim, continua no fundo do poço, agora já sem água depois que a Lava Jato usou tudo para tentar limpar a corrupção. Ao final, concluiu-se que foi água demais para uns e nem mesmo respingos para outros, enlameados até o pescoço.

Maluf decidiu que será candidato novamente e desafia qualquer um a provar que tenha dinheiro depositado no exterior, fruto de alguma atividade ilegal.

Deus, que era brasileiro, achou melhor pedir asilo político no Afeganistão.

Tecnologia pode criar elite de super-humanos e massa de ‘inúteis’, diz autor de best-seller (por BBC Brasil)

Yuval Noah Harari

O israelense Yuval Harari investiga a relação entre história e biologia, as diferenças essenciais entre o ser humano e outros animais e o rumo da história humana.

Por BBC Brasil – 6/5/2017.

Os avanços em tecnologia, genética e inteligência artificial podem transformar a desigualdade econômica em desigualdade biológica? O autor e historiador Yuval Noah Harari se fez essa pergunta.

Leia mais:

http://www.bbc.com/portuguese/geral-39752430?ocid=socialflow_facebook

Para que a internet não devaste a sociedade (Por Trevor Scholz/via Outras Palavras)

artigo é um pouco longo, mas para quem deseja entender que tipo de futuro teremos, suas ameaças e perspectivas, no mundo do trabalho (profissões e empresas), vale a pena ler.

170331-Sharing

Por Trebor Scholz – Tradução de Rafael A. F. Zanatta – 31/3/2017 – via Outras Palavras.

Sistemas muito mais abrangentes que o Uber estão eliminando direitos trabalhistas para  enriquecer megaempresas. Há saída: um cooperativismo digital.

Leia mais:

http://outraspalavras.net/capa/os-novos-uber-e-uma-alternativa

Cerca de 50% dos empregos vão desaparecer nos próximos 25 anos (por Philip Perry/via Rogério Cerqueira Leite)

Por Redação Unisinos – 28/3/2017.

A campanha de Trump prometeu trazer empregos de volta para a costa dos EUA, embora a mecanização tenha sido a maior razão para o desaparecimento de empregos na manufatura. Perdas semelhantes levaram a movimentos populistas em vários outros países. Mas em vez de um futuro de crescimento pró-emprego, economistas de todo o mundo preveem novas perdas com o advento da IA, da robótica e outras tecnologias. O que está em debate é a rapidez com que isto deve ocorrer.

A reportagem é de Philip Perry, publicada por Big Think, 27 -12- 2016 . A tradução é de Luísa Flores Somavilla.

Leia mais:

Cerca de 50% dos empregos vão desaparecer nos próximos 25 anos

Profissão que não requer criatividade sofrerá mudanças dramáticas, diz pesquisador (por Dante Ferrasoli/via Folha de S. Paulo)

Silvio Meira pesquisador brasileiro da area de Engenharia de Software. Foto:Max Levay ***DIREITOS RESERVADOS. NÃO PUBLICAR SEM AUTORIZAÇÃO DO DETENTOR DOS DIREITOS AUTORAIS E DE IMAGEM***

Silvio Meira, pesquisador da área de engenharia de software. Foto: Max Levay.

Por Dante Ferrasoli/via Folha de S. Paulo – 29/9/2016.

“Toda atividade que não envolve a resolução de problemas complexos e não depende de imaginação e criatividade será “dramaticamente” modificada, a ponto de os empregos desaparecerem. A previsão é do pesquisador Silvio Romero de Lemos Meira, referência no país em tecnologia e inovação.

Nesta entrevista à Folha, ele fala do futuro das profissões e dos avanços tecnológicos que estão transformando o universo do trabalho.”

Leia mais:

http://www1.folha.uol.com.br/sobretudo/carreiras/2016/09/1817699-profissao-que-nao-requer-criatividade-sofrera-mudancas-dramaticas-diz-pesquisador.shtml?cmpid=compfb

Quarta revolução industrial (por Udo Gollub/via redes sociais)

Por Udo Gollub, em Messe, Berlim – Conferência na Universidade da Singularidade.

Em 1998, a Kodak tinha 170.000 funcionários e vendeu 85% de todo o papel fotográfico vendido no mundo. No curso de poucos anos, o modelo de negócios dela desapareceu e a empresa abriu falência. O que aconteceu com a Kodak vai acontecer com um monte de indústrias nos próximos 10 anos – e a maioria das pessoas não enxerga isso chegando. Você poderia imaginar em 1998 que três anos mais tarde você nunca mais iria registar fotos em filme de papel? No entanto, as câmaras digitais foram inventadas em 1975. As primeiras tinham 10.000 pixels mas seguiram a Lei de Moore. Tal como acontece com todas as tecnologias exponenciais, foram decepcionantes por longo tempo até serem muito superiores e dominantes em poucos anos.

O mesmo sucederá agora com a inteligência artificial, saúde, veículos autônomos e elétricos, a educação, a impressão em 3D, a agricultura e o emprego. Bem-vindo à Quarta Revolução Industrial! O software destroçará a maioria das atividades tradicionais nos próximos cinco a dez anos.

O UBER é apenas uma ferramenta de software, seus usuários não são proprietários de carros e são agora a maior companhia de táxis do mundo. A AIRBNB é a maior companhia hoteleira do mundo embora eles não sejam proprietários.

Inteligência Artificial: os computadores estão se tornando exponencialmente melhores a entender o mundo. Este ano um computador derrotou o melhor jogador de GO do mundo, 10 anos antes do previsto. Nos Estados Unidos advogados jovens já não conseguem empregos. Com o WATSON da IBM você pode conseguir aconselhamento legal (por enquanto em assuntos mais ou menos básicos) dentro de segundos com 90% de exatidão se comparado com os 70% de exatidão quando feito por humanos. Por isso, se você. está estudando Direito, PARE imediatamente. Haverá 90% menos advogados no futuro e só especialistas permanecerão.

O WATSON já está ajudando enfermeiras a diagnosticar câncer com quatro vezes mais precisão. O FACEBOOK incorpora agora um software de reconhecimento de padrões que reconhece faces melhor que os humanos. Em 2030 os computadores serão mais inteligentes que os humanos.

Veículos autônomos: em 2018 os primeiros veículos dirigidos automaticamente estarão à venda. Ao redor de 2020 a indústria automobilística começará a ser demolida. Ninguém desejará possuir um automóvel. Nossos filhos não precisarão de carta de condução ou serão donos de um carro. Isto mudará as cidades pois necessitaremos de 90% a 95% menos de carros para isso. Transformaremos áreas de estacionamento em parques. Cerca de 1.200.000 pessoas morrem cada ano em acidentes automobilísticos no mundo. Há um acidente a cada 100.000 quilômetros mas com os veículos autodirigidos isto cairá para um acidente a cada 10.000.000 de quilômetros salvando-se um milhão de vidas.

A maioria das empresas de automóveis poderão falir. Companhias de carros adotam a tática evolucionária e constroem carros melhores enquanto as companhias tecnológicas (Tesla, Apple, Google) adotarão a tática revolucionária e construirão um computador sobre rodas. Falei com um monte de engenheiros da Volkswagen e da Audi: estão completamente aterrorizados com a TESLA. As companhias seguradores terão problemas enormes porque, sem acidentes, o seguro se tornará 100 vezes mais barato. O negócio do seguro automóvel desaparecerá.

Os negócios imobiliários mudarão. Pelo fato de poderem trabalhar enquanto se deslocam, as pessoas vão se mudar para mais longe para viver em uma vizinhança mais bonita.

Carros elétricos se tornarão dominantes até 2020. As cidades serão menos ruidosas porque os carros rodarão eletricamente. A eletricidade se tornará incrivelmente barata e limpa: a energia solar tem estado numa curva exponencial há 30 anos mas somente agora você pode sentir o impacto. No ano passado foram montadas mais instalações solares que fósseis. O preço da energia solar vai cair de tal forma que todas as mineradoras de carvão cessarão a atividade ao redor de 2025.

Com eletricidade barata teremos água abundante e barata. A dessalinização agora consome apenas dois quilowatts/hora por metro cúbico. Não temos escassez de água na maioria dos locais, temos apenas escassez de água potável. Imagine ter tanta água limpa quanta desejar quase sem custo.

Saúde: O preço do Tricorder X será anunciado este ano. Teremos companhias que irão construir um aparelho médico (chamado Tricorder na série Star Trek) que trabalha com o seu telefone. Faz o escaneamento da retina, testa a sua amostra de sangue e analisa a sua respiração (bafômetro). Analisa 54 biomarcadores que identificarão qualquer doença. Vai ser barato de tal forma que em poucos anos cada pessoa do planeta terá acesso à medicina de padrão mundial praticamente de graça.

Impressão 3D: o preço da impressora 3D mais barata caiu de US$ 18.000 para US$ 400 em 10 anos. Neste mesmo intervalo tornou-se 100 vezes mais rápida. Todas as maiores fábricas de sapatos começaram a imprimir sapatos em 3D. Peças de reposição para aviões já são impressas em 3D em aeroportos remotos.

A Estação Espacial tem agora uma impressora 3D que elimina a necessidade de ter um monte de peças de reposição como era necessário anteriormente. No final deste ano os novos smartphones terão capacidade de escanear em 3D. Você poderá então escanear o seu pé e imprimir sapatos perfeitos em sua casa. Na China já imprimiram em 3D todo um edifício completo de seis andares, incluindo os escritórios. Lá por volta de 2027, 10% de tudo que for produzido será impresso em 3D.

Oportunidades de negócios: Se você pensa num nicho no qual gostaria de entrar, pergunte a si mesmo: “SERÁ QUE TEREMOS ISSO NO FUTURO?” Se a resposta for SIM, como você poderá fazer isso acontecer mais cedo? Se não funcionar com o seu telefone, ESQUEÇA a ideia. E qualquer ideia com sucesso no século 20 estará fadada a falhar no século 21.

Trabalho: 70% a 80% dos empregos desaparecerão nos próximos 20 anos. Haverá uma porção de novos empregos mas não está claro se haverá empregos suficientes em tempo tão exíguo.

Agricultura: haverá um robô agricultor de US$ 100,00 no futuro. Agricultores poderão tornar-se gerentes das suas terras ao invés de trabalhar nelas todos os dias. A AEROPONIA necessitará de bem menos água. A primeira vitela produzida “in vitro” já está disponível e vai se tornar mais barata que a vitela natural da vaca ao redor de 2018.

Atualmente, cerca de 30% de todos as superfícies agriculturáveis são ocupados por bovinos. Imagine se tais espaços deixarem se ser usados dessa forma. Há muitas iniciativas atuais para fazer proteína de insetos para o mercado. Eles fornecem mais proteína do que a carne. Deverá ser rotulada de FONTE ALTERNATIVA DE PROTEÍNA porque muitas pessoas ainda rejeitam a ideia de comer insetos.

Existe um aplicativo chamado “moodies” (estados de humor) que já é capaz de dizer em que estado de humor você está. Até 2020 haverá aplicativos que podem saber se você está mentindo ao analisar suas expressões faciais. Imagine um debate político em que se mostre quando as pessoas não estão dizendo a verdade.

O BITCOIN (dinheiro virtual) pode se tornar dominante este ano e poderá até mesmo tornar-se em moeda-reserva padrão.

Longevidade: atualmente, a expectativa de vida aumenta cerca de três meses por ano. Há quatro anos, a expectativa de vida costumava ser de 79 anos e agora é de 80 anos. Por volta de 2036 haverá um aumento de mais de um ano por ano. Assim poderemos viver vidas longas, possivelmente bem mais do que 100 anos.

Educação: os smartphones mais baratos já estão custando US$ 10,00 na África e na Ásia. Até 2020, 70% de todos os humanos terão um smartphone. Isso significa que cada um terá o mesmo acesso à educação de qualidade mundial. Cada criança poderá usar a academia KHAN com os mesmos conteúdos de escolas de países do chamado Primeiro Mundo.