A ousadia de pensar o aborto: Uma questão bioético-política (por Fabio A.G. Oliveira, Letícia Gonçalves e Maria Clara Dias/via Revista Cult)

A ousadia de pensar o aborto: Uma questão bioético-política

Arte: Revista Cult.

Por Fabio A.G. Oliveira, Letícia Gonçalves e Maria Clara Dias – 13/11/2017 – via Revista Cult.

Segundo a Pesquisa Nacional do Aborto (PNA) realizada em 2016 e publicada em 2017, uma mulher por minuto pratica aborto no Brasil. Isso significa dizer que uma a cada cinco mulheres alfabetizadas entre 18 e 39 anos já fez um aborto. Ou seja: 4,7 milhões de mulheres já abortaram. Diante desses números, nos perguntamos: por qual razão pensar o aborto ainda gera tanto incômodo em uma parcela da população? E quais aspectos bioéticos e políticos precisamos destacar neste debate?

Leia mais:

https://revistacult.uol.com.br/home/ousadia-de-pensar-o-aborto-uma-questao-bioetico-politica/#.WgoU7IY9CJU.facebook

A realidade do orgasmo feminino não tem nada a ver com a de filmes pornô (por Huffpostbrasil)

Por Huffpostbrasil – 18/10/2017.

O fotógrafo brasileiro Marcos Alberti registrou reações faciais de mulheres antes, durante e depois do orgasmo para explorar a verdadeira expressão de prazer ligada à sexualidade feminina. Segundo ele, a ideia é mostrar que o verdadeiro orgasmo feminino não é nada como o que é vendido pela pornografia.

Leia mais:

http://www.huffpostbrasil.com/2017/10/18/a-realidade-do-orgasmo-feminino-nao-tem-nada-a-ver-com-o-de-filmes-porno_a_23247892

A cada 10 minutos uma mulher é vítima de violência em Santa Catarina (por Fábio Bispo/via Notícias do Dia)

Para a delegada Patrícia D´Ávila, é preciso uma transformação cultural para reduzir casos de violência - Flávio Tin/NDPara a delegada Patrícia D´Ávila, é preciso uma transformação cultural para reduzir casos de violência – Flávio Tin/ND.

Por Fábio Bispo – 18/8/2017 – via Notícias do Dia.

Dados da Secretaria de Segurança Pública revela que os crimes mais praticados contras as mulheres são ameaça, lesão corporal e estupro.

Leia mais:

https://ndonline.com.br/florianopolis/noticias/a-cada-10-minutos-uma-mulher-e-vitima-de-violencia-em-santa-catarina

Jovens negras do Brasil e a transmissão geracional do racismo e da desigualdade (por Evanildo Barbosa da Silva e Rachel Barros/via Le Monde Diplomatique Brasil)

Editado

Evanildo Barbosa da Silva e Rachel Barros – 25/7/2017 – via Le Monde Diplomatique Brasil.

O alto risco que se impõe diariamente sobre a vida das jovens mulheres negras aparece como uma condição que tem rebatimentos negativos diretos sobre a democracia brasileira, já que tal situação deve ser entendida como resultado histórico de condutas coletivas socialmente perversas.

Leia mais:

http://diplomatique.org.br/jovens-negras-do-brasil-e-a-transmissao-geracional-do-racismo-e-da-desigualdade-2

Elas imprimiram o clitóris em 3D (é maior do que você pensava) – por Nathalia Ziemkiewicz/via Yahoo Vida e Estilo

Julieta Jacob e Caroline Arcari com o modelo de clitóris em 3D, cuja comercialização é pioneira no Brasil (Divulgação/Clitóri-se).

Por Nathalia Ziemkiewicz – 14/6/2017 – via Yahoo Vida e Estilo.

Essa coisinha fofa que parece ter pescoço-braços-peitos é um clitóris. Nunca mais o subestime: é bem maior que uma ervilha, mais potente que qualquer pênis, responsável por todos os orgasmos femininos. Ao longo da História, ele foi ignorado pela medicina e condenado por religiões. Ainda hoje, segue desconhecido entre as pernas de algumas e minimizado pela vaidade de alguns.

Leia mais:

https://br.vida-estilo.yahoo.com/elas-imprimiram-o-clitoris-em-3d-e-maior-que-voce-pensava-212247051.html

O machismo também mora nos detalhes (por Maíra Liguori/via Think Olga)

olga

Por Maíra Liguori – 9/4/2015 – via Think Olga.

Quando você pensa em machismo, o que vem à sua cabeça? Estupro, violência doméstica, restrição econômica, submissão e subserviência. Porém, existem alguns comportamentos machistas que permeiam nosso cotidiano e sequer nos damos conta. Gestos que parecem inofensivos, mas na verdade roubam nossa força, nosso espaço e limitam as possibilidades das mulheres. Mas estamos de olho! A Think Olga traz uma explicação sobre quatro tipos de machismo invisíveis para te ajudar a combatê-los no seu dia-a-dia: manterruptingbropriating, mansplaining e gaslighting. São comportamentos batizados em inglês sem tradução oficial. Mas também achamos imprescindível pensarmos em versões em português!

Leia mais:

http://thinkolga.com/2015/04/09/o-machismo-tambem-mora-nos-detalhes

Quadrinhos explicam por que as mulheres se sentem tão cansadas (por Redação Hypeness)

hq1

Por Redação Hypeness – maio/2017.

Todas as ilustrações © Emma/Tradução para o português: Bandeira Negra.

Já reparou como as mulheres parecem estar sempre mais cansadas do que seus companheiros? Muitas vezes é comum ouvir os homens reclamarem que elas “nunca relaxam” e até mesmo defini-las como “controladoras”. Mas será que elas gostam mesmo de assumir tantas responsabilidades?

Leia mais:

http://www.hypeness.com.br/2017/05/quadrinho-explica-porque-as-mulheres-se-sentem-tao-cansadas

Cerca de 12 mil mulheres são vítimas de violência por dia no Brasil (por Dayana Vitor/via EBC)

Por Dayana Vitor – 9/5/2017 – via EBC – Rádioagência Nacional.

Ofensas morais, violência física, mão boba no transporte público. A cada hora, 503 mulheres são vítimas de algum desses tipos de violência no Brasil. A maioria das vítimas é negra e parda. Dois a cada três brasileiros já presenciaram essas agressões. Os dados são da pesquisa Visível e Invisível: a vitimização de mulheres no Brasil.

Leia mais:

http://radioagencianacional.ebc.com.br/direitos-humanos/audio/2017-05/cerca-de-12-mil-mulheres-sao-vitimas-de-violencia-por-dia-no-brasil