Seis estatísticas que mostram o abismo racial no Brasil (por Tory Oliveira/via Carta Capital)

Protesto no Dia da Consciência Negra

Integrantes de movimentos sociais e de defesa dos direitos da comunidade negra protestam na 13ª Marcha da Consciência Negra, em 2016. Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil.

Por Tory Oliveira – 20/11/2017 – via Carta Capital.

No Brasil, a população negra é mais atingida pela violência, desemprego e falta de representatividade.

Leia mais:

https://www.cartacapital.com.br/sociedade/seis-estatisticas-que-mostram-o-abismo-racial-no-brasil

Pastoral Carcerária: “se colocassem cães e gatos nos presídios, tratados como as pessoas o são, teríamos milhões nas ruas” (via Caminho pra Casa e Outras Palavras)

Por Caminho pra Casa e Outras Palavras – 13/1/2017.

O padre Valdir Silveira, coordenador da Pastoral Carcerária no Brasil, é uma das pessoas que mais conhecem o sistema prisional do país. São anos de escuta aos presos, presas, seus familiares, funcionários e autoridades. Ele não tem dúvida: “O sistema prisional brasileiro está estruturado para torturar e matar –para mais nada.” E completa: “se colocassem cães e gatos nos presídios brasileiros, tratados como as pessoas são tratadas atualmente, teríamos milhões nas ruas e mobilização mundial contra o Brasil.” Ele concedeu entrevista ao blog Caminho pra Casa na tarde desta segunda (10) pouco antes de embarcar para a região Norte.

Leia mais:

http://outraspalavras.net/maurolopes/2017/01/10/pastoral-carceraria-se-colocassem-caes-e-gatos-nos-presidios-tratados-como-as-pessoas-o-sao-teriamos-milhoes-nas-ruas

Prisões do novo ano: a verdade do aquém (por Clarisse Gurgel/via blog da Boitempo)

dunker-milagre

Por Clarisse Gurgel – 13/1/2017 – via blog da Boitempo.

Para as tantas mães e esposas que aguardam notícias de seus parentes presos, o Estado nada oferece de amparo. Apenas aquela que encarna o mais novo modelo de ONG, o empreendimento substitutivo da política pública, a Igreja Evangélica, é que fornece refrigerantes, água e pães aos aflitos. Algo que nos faz repensar as tarefas do partido revolucionário.

Leia mais:

https://blogdaboitempo.com.br/2017/01/13/prisoes-do-novo-ano-a-verdade-do-aquem

Moro manda prender Guido Mantega sem base legal (por Pedro Breier, correspondente policial do Cafezinho)

moro

Por Pedro Breier, correspondente policial do Cafezinho – 22/9/2016.
prison boy de Curitiba. Charge: Aroeira.

“A prisão temporária é medida extrema no direito processual penal.

Mas para Sérgio Moro prisão não é medida extrema, especialmente se for de algum petista: é fetiche, é tara.

É a ração com a qual alimenta as manchetes da mídia conservadora, que por sua vez faz a lavagem cerebral diária no exército de zumbis midiáticos, que, sedentos por sangue depois de anos de massacre midiático contra o PT, aplaudem mais um ato bárbaro, desumano e ilegal da Lava Jato.”

Leia mais:

http://www.ocafezinho.com/2016/09/22/moro-manda-prender-guido-mantega-sem-base-legal

Brasil é o quinto país com mais mulheres encarceradas no mundo: 37.380 presas (por O Globo)

http://agenciapatriciagalvao.org.br/mulheres-de-olho-2/brasil-e-o-quinto-pais-com-mais-mulheres-encarceradas-no-mundo-37-380-presas

(O Globo, 23/09/2015) Mais de 700 mil mulheres e meninas estão sendo mantidas em prisões em todo o mundo, diz um relatório do Institute for Criminal Policy Research, de Londres. O número aumentou 50% desde 2000, ultrapassando o crescimento entre os homens, de acordo com a terceira edição da Lista Mundial de Aprisionamento Feminino. Apenas três países — Estados Unidos, China e Rússia — representam cerca de metade da população carcerária total do sexo feminino. O Brasil, quinto país do ranking, tem 37.380 mulheres encarceradas.

Leia também: Entrevista Débora Diniz: Dramas femininos enjaulados (Correio Braziliense, 20/09/2015)

Os pesquisadores responsáveis pelo estudo consideram que governos em todo o mundo deveriam demonstrar “profunda preocupação” com os dados levantados. O relatório é baseado em dados de 219 países e territórios dependentes. Mas é provável que o número total de mulheres e adolescentes na cadeia seja ainda maior, segundo os autores do relatório, pois alguns países não forneceram dados e os dados chineses estavam incompletos.

“[Mulheres e meninas] são um grupo extremamente vulnerável e desfavorecido, e tendem a ser vítimas de crimes e abusam de si mesmas. O aumento de aproximadamente 50% no número de mulheres e meninas presas nos últimos 15 anos deve ser motivo de profunda preocupação para os governos, as administrações penitenciárias e todos os que estão comprometidos com a justiça e a reforma penal”, comenta no relatório Jessica Jacobson, diretora do instituto britânico, parte da Universidade Birkbeck.

Os países africanos têm a menor proporção de mulheres na prisão, enquanto El Salvador, Brasil, Camboja e Indonésia têm visto grandes aumentos.

O estufo aponta que 205.400 mulheres e meninas estão presas nos Estados Unidos, 103.766 na China (sem contar com um número desconhecido que ainda aguarda julgamento ou em detenção administrativa). Em seguida vem a Rússia, com 53.304 detentas, Tailândia (44.751), Brasil (37.380), Vietnã (20.553), Índia (18.188) e México (13.400).

As prisioneiras constituem, geralmente, entre 2% e 9% do total da população carcerária de um país, com a excepção de três países com populações muito pequenas. Os índices mais altos estão em Hong Kong (mais de 19%), Macau-China (quase 18%), Myanmar (mais de 16%), Bolívia, Qatar, Tailândia e Vietnã (entre 14 e 15%) e Kuwait (quase 14 %).

Acesse no site de origem: Brasil é o quinto país com mais mulheres encarceradas no mundo: 37.380 presas (O Globo, 23/09/2015)