A sobrevivência dos mais ricos e como tramam abandonar o barco, por Douglas Rushkoff, via IHU

Por Douglas Rushkoff – via IHU – 7/8/2018

Para os multimilionários, o futuro da tecnologia consiste em sua capacidade de fuga. O objetivo é transcender a condição humana e se proteger da mudança climática, os grandes fluxos migratórios, as pandemias globais…

O artigo é de Douglas Rushkoff, escritor, documentarista e palestrante estadunidense, cujo trabalho se concentra na autonomia humana na era digital, em artigo publicado por Ctxt, 01-08-2018. A tradução é do Cepat.

Leia mais:

http://www.ihu.unisinos.br/581551-a-sobrevivencia-dos-mais-ricos-e-como-tramam-abandonar-o-barco

Guardian: Você toca a tela do telefone 2.617 vezes por dia. Cuidado, estão sequestrando seu cérebro

Por Guardian – 8/10/2017 – via Viomundo.

O diário britânico Guardian publicou reportagem sobre designers, programadores e executivos do Vale do Silício, na Califórnia, que desistiram ou restringiram seu uso das redes sociais temendo o “sequestro” mental a que os usuários dos smartphones estão sujeitos — aquela coisa de acordar com o celular ao lado da cama e dar likes e checar fotos no Instagram antes mesmo de tomar o café da manhã. Segundo o texto, as pessoas tocam a tela dos seus telefones, em média, 2.617 vezes por dia.

Leia mais:

http://www.viomundo.com.br/voce-escreve/guardian-voce-toca-a-tela-de-seu-telefone-2-617-vezes-por-dia-cuidado-estao-sequestrando-seu-cerebro.html

Como a visão utópica do Vale do Silício pode criar uma forma brutal de capitalismo (por Jamie Bartlett/via BBC)

Vale do Silício

Por Jamie Bartlett – 20/8/2017 – via BBC. Direito de imagem: Shutterstock.

“Somos uma comunidade global”, dizem. “Com a tecnologia em nossos bolsos, podemos recuperar nossas cidades”, prometem. “Não queremos ser parte do problema. Somos e seguiremos sendo parte da solução”, garantem.

Mas a promessa do Vale do Silício de construir um mundo melhor se baseia, de certa forma, em destruir o que temos hoje em dia.

Leia mais:

http://www.bbc.com/portuguese/geral-40931867?utm_source=Colabora&utm_campaign=91246e71e1-EMAIL_CAMPAIGN_2017_08_22&utm_medium=email&utm_term=0_7b4d6ea50c-91246e71e1-416576105

A privatização do dinheiro, silenciosa e radical (por Brett Scott/via Outras Palavras)

170307-DinheiroDigital2c

Por Brett Scott – 7/3/2017 – via Outras Palavras. Tradução: Inês Castilhos e Antonio Martins.

Bancos, cartões de crédito e Estados querem substituir todo o dinheiro público por moeda digital, corporativa. Se isso ocorrer, haverá muito mais desigualdade, discriminação e vigilância.

Leia mais:

http://outraspalavras.net/posts/a-privatizacao-do-dinheiro-silenciosa-e-radical

 

Tecnologia pode criar elite de super-humanos e massa de ‘inúteis’, diz autor de best-seller (por BBC Brasil)

Yuval Noah Harari

O israelense Yuval Harari investiga a relação entre história e biologia, as diferenças essenciais entre o ser humano e outros animais e o rumo da história humana.

Por BBC Brasil – 6/5/2017.

Os avanços em tecnologia, genética e inteligência artificial podem transformar a desigualdade econômica em desigualdade biológica? O autor e historiador Yuval Noah Harari se fez essa pergunta.

Leia mais:

http://www.bbc.com/portuguese/geral-39752430?ocid=socialflow_facebook

Xadrez do Hommer Simpson e do desmonte nacional (por Luis Nassif/via GGN)

Luis Nassif já vinha sendo, na minha opinião, o melhor analista do quadro político nacional. E o texto abaixo, é o melhor de tudo que já li sobre o que acontece no país. Simples, direto, contundente. Vai na raiz do problema. Não deixe de ler.

Por Luis Nassif – 29/12/2016 – via GGN.

Não se imagine que o fundo do poço está à vista. A fragilidade institucional brasileira, a mediocridade de suas elites pensantes – à direita e à esquerda -, a ausência mínima de noção de soberania, de interesse nacional, de solidariedade nacional, sugerem que o desmonte nacional pode não ter fundo.

Leia mais:

‘Internet molda o cérebro das pessoas’, diz Nicolelis (por Luis Nassif/via GGN)

Por Luis Nassif – 26/12/2016 – via GGN.

Testes apontam que a internet, o meio de comunicação mais veloz já existente, está moldando o cérebro das pessoas, fazendo com que a razão humana funcione com características do mundo digital.
O grande problema nesse processo é que, ao mimetizar o funcionamento dos computadores, a humanidade tende a perder peculiaridades analógicas de empatia, solidariedade e respeito à opinião alheia. O alerta é do neurocientista Miguel Nicolelis, feito em entrevista exclusiva, que você poderá acompanhar na íntegra, quarta (28), no GGN.
Leia mais:

Profissão que não requer criatividade sofrerá mudanças dramáticas, diz pesquisador (por Dante Ferrasoli/via Folha de S. Paulo)

Silvio Meira pesquisador brasileiro da area de Engenharia de Software. Foto:Max Levay ***DIREITOS RESERVADOS. NÃO PUBLICAR SEM AUTORIZAÇÃO DO DETENTOR DOS DIREITOS AUTORAIS E DE IMAGEM***

Silvio Meira, pesquisador da área de engenharia de software. Foto: Max Levay.

Por Dante Ferrasoli/via Folha de S. Paulo – 29/9/2016.

“Toda atividade que não envolve a resolução de problemas complexos e não depende de imaginação e criatividade será “dramaticamente” modificada, a ponto de os empregos desaparecerem. A previsão é do pesquisador Silvio Romero de Lemos Meira, referência no país em tecnologia e inovação.

Nesta entrevista à Folha, ele fala do futuro das profissões e dos avanços tecnológicos que estão transformando o universo do trabalho.”

Leia mais:

http://www1.folha.uol.com.br/sobretudo/carreiras/2016/09/1817699-profissao-que-nao-requer-criatividade-sofrera-mudancas-dramaticas-diz-pesquisador.shtml?cmpid=compfb